Pert – progream evaluation and review technique

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1724 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
PERT – PROGREAM EVALUATION
AND REVIEW TECHNIQUE

CPM – CRITICAL PATH METHOD

SANTO ANDRÉ
2012
ALUNOS:

NOME 99999 3ºBA
NOME 99999 3ºBA
NOME 99999 3ºBA
Cristiano Franklin Ferreira 16518 3ºBA






PERT – PROGREAM EVALUATION
AND REVIEW TECHNIQUE

CPM –CRITICAL PATH METHOD

Prof. Me.

2012
PERT – “Program Evaluation and Review Technique”

Na administração, a Técnica de Avaliação e Revisão de Programas, (do inglês PERT - Program Evaluation and Review Technique) é uma ferramenta utilizada no gerenciamento de projetos, e tem como objetivo facilitar o desempenho das seguintes funções administrativas:
* Estabelecer programações objetivas paraeconomia de tempo;
* Programar recursos disponíveis para sua utilização eficiente;
* Indicar, com a devida antecedência, pontos de estrangulamento na execução de programas ou no controle de custos;
* Rever planos a fim de adaptá-los à realidade observada durante sua execução.
Tais funções, por sua própria natureza, sempre foram consideradas típicas do administrador. Contudo, com acrescente complexidade dos projetos industriais, seu planejamento e execução passaram a absorver demasiado tempo, acarretando, em conseqüência, danosos efeitos à organização da empresa.
A compreensão da importância da incerteza pode ser evidenciada em uma perspectiva histórica, como veremos a seguir.
O esforço bélico empreendido durante a Segunda Guerra Mundial e, depois, na “Guerra Fria”,catalisou o desenvolvimento de novas metodologias gerenciais, tornando aplicável muito do que a ciência havia gerado até então.
O Projeto Pollaris, para a construção de um submarino nuclear em 1957, é um desses marcos do gerenciamento. Cercado de riscos e incertezas, o projeto mobilizava milhares de organizações, com uma logística complexa e metas bastante ambiciosas. A Marinha norte-americana criou umgrupo-tarefa para gerir o projeto (Johnson et al., 1963) e delegou a uma equipe de consultores o desenvolvimento de instrumentos de planejamento e controle para esse empreendimento: nascia o PERT - Program Evaluation and Review Technique.
Esse instrumento se somou ao cronograma de Gantt, desenvolvido à época da Primeira Guerra Mundial e cuja principal limitação era a de desconsiderar ainterdependência entre as atividades. A nova metodologia servia-se de cálculos probabilísticos, ao contrário de seu gêmeo, o CPM - Critical Path Method, desenvolvido ao mesmo tempo nos EUA, em 1959, pela DuPont Chemical (Johnson et al., 1963).

Gráfico de Gunt no Microsoft Project 1
A importância das redes de precedência na gestão dos riscos é indicada por Johnson et al. (1963, p. 246), referindo-seao relatório de criação do PERT e indicando as razões para criá-lo: “Em primeiro lugar, nos esforçamos para programar atividades intelectuais do mesmo modo que as atividades físicas facilmente mensuráveis. Segundo, por definição, Pesquisa e Desenvolvimento apresentam uma natureza pioneira. Portanto, prévias experiências paralelas sobre as quais basear a programação de um novo empreendimento sãorelativamente indisponíveis. Terceiro, a imprevisibilidade de resultados específicos da Pesquisa inevitavelmente demanda mudanças freqüentes na programação detalhada”.
O modelo gerencial era forjado também em outros aspectos. Anos depois, a Nasa difundiu um novo modelo de organização para empreendimentos: a estrutura matricial, em que o gerenciador coordena múltiplas equipes, em adição à estruturafuncional tradicional. Essa proposição somou-se a outra contribuição dos tempos da guerra: os grupos- tarefa (task-forces, em inglês), não liderados, temporários e focados em objetivos.
Pode-se dizer que essa foi a “fase dos fluxogramas”, isto é, das redes e organogramas. Tanto a demanda pela reconstrução dos países beligerantes como a explosão de consumo causaram um grande dinamismo em...
tracking img