Perspectiva sobreo tempo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1577 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN

Disciplina: O Ensino da História no 1º grau I

Profª: Francisca Lacerda de Gois















Resenha do texto
Entre o tempo cosmológico e o tempo da consciência,
o tempo histórico: Um “terceiro tempo”?



























Natal/RN, 22 de Julho de 2003
Perspectiva sobre o tempo


•Perspectiva da Física: Refere-se a um tempo dos movimentos naturais que se caracteriza pela medida, quantidade, abstração, reversibilidade, apesar de se referir também a um tempo evolutivo e irreversível pelo 2º Princípio da Termodinâmica.

• Perspectiva da Filosofia: Refere-se às mudanças vividas pela consciência. As marcas do tempo da consciência são a incomensurabilidade, a qualidade, ovivido concreto, a irreversibilidade e, sobretudo, a reflexão.

O tempo parece emergir uns dos outros. Das formas matemáticas e seu tempo plenamente abstrato e reversível (não vivido) passa-se às formas físicas concretas e em movimento de uma certa forma já vivido, em que a abstração e a reversibilidade plena não podem a rigor existir; depois às realidades vividas do biólogo, que já sãovividas, nas quais a concretude e a irreversibilidade começam a se instalar, porém, ainda não existia a consciência, mas já é um tempo semelhante ao da consciência por anunciar a finitude. Emergindo do tempo biológico, temos o tempo psicológico o qual já é consciência presente, mas não é ainda a pura consciência que o filósofo tematiza. Neste tempo psicológico, o humano individual emerge com suaespecificidade, a consciência, com base nos tempos biológicos e físicos. A característica essencial do tempo da consciência, a qualidade incomensurável dos ritmos mais lentos e mais rápidos do vivido, revela-se no tempo psicológico. Porém, não faz a ponte entre os tempo da natureza e da consciência.
Os níveis temporais se articulam pela emergência uns dos outros: Eles se superpõem sem meramentese justaporem. As condições cosmológicas possibilitaram a emergência da vida biológica que possibilita a emergência da vida humana psicológica e coletiva. O tempo cosmológico impor-se-ia aos outros tempos e ao tempo da consciência em particular.
Essa articulação entre os níveis parece razoável, ela não resolve, entretanto, o problema da articulação entre o tempo da natureza e o tempo daconsciência. Há as soluções que apresentam a consciência humana como reflexão em si da natureza ou a natureza como exteriorização da consciência. Outra hipótese é a de que o tempo histórico faria a ponte entre a natureza e a consciência através de conexões, reinscreve o tempo vivido sobre o tempo cósmico por meio de alguns artifícios: O calendário, a sucessão de gerações, preservação dos vestígiosem arquivos, museus, bibliotecas...
Ritos e festas organizam o mundo e a vida prática dos homens, começa a instituição universal do calendário como um terceiro tempo entre o psíquico e o cósmico.
Do tempo físico, o tempo calendário mantém as características de continuidade e uniformidade, a linearidade infinita, segmentável à vontade, a partir de instantes quaisquer, não tempresente, é reversível, pois pode-se ir do presente ao passado e deste ao presente, é mensurável e numerável. Por outro lado, o tempo calendário escapa em seu princípio mesmo ao tempo astronômico, pois a determinação do ponto zero é feita pela designação de um evento, um presente vivido, determinado e singular, que teria rompido com uma época e aberto outra. Além disso, o tempo calendário éconstruído com base nas articulações temporais: Passado, presente e futuro, guardando as operações que permitem passar de um a outro desses momentos do tempo.
A primeira ponte que o tempo histórico lança entre os tempos irreconciliáveis da consciência e do mundo é o calendário. A segunda ponte que o tempo histórico lança entre o tempo natural-biológico e o tempo da consciência: Por meio da noção...
tracking img