Percepção das mulheres portadoras da doença hipertensiva específica da gestação sobre a patologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 40 (9773 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO UNIVERSITÁRIO DO CERRADO PATROCÍNIO
Graduação em Enfermagem

PERCEPÇÃO DAS MULHERES PORTADORAS DA DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTACÃO SOBRE A PATOLOGIA

Rafaella Cristina Palmeira

PATROCÍNIO
2011

1 INTRODUÇÃO

A gestação é um fenômeno fisiológico que evolui semintercorrências, na maior parte dos casos. Segundo o Ministério da Saúde (2000), uma parte das gestantes apresenta chance de evolução desfavorável durante a fase gravídica, quando portadoras de alguma patologia que possa contribuir para a Doença Hipertensiva Específica da Gestação (DHEG).

A DHEG caracteriza-se pelo surgimento de hipertensão em gestantes normotensas, após a vigésima semana de gestação,sendo prorrogada por todo o período gestacional, demandando uma assistência contínua durante o pré-natal, já que o quadro clínico apresenta considerável gravidade (DESSE; VIEIRA ; CARVALHO, 2003).

Segundo Gonçalves, Fernandes, Sobral (2002), dentre o elevado número de complicações clínicas relacionadas ao período gestacional que acarretam morbimortalidade materna e perinatal, destaca-se a DHEG,que é também denominada pré-eclâmpsia, ocupando o primeiro lugar dentre as afecções próprias do ciclo grávido-puerperal.

Para os autores, durante a gestação, o critério do aumento da pressão arterial é crucial, pois são freqüentes os casos de gestantes cujos níveis pressóricos pré-gravídicos são baixos (80 x 50 mmHg, por exemplo) e, após a vigésima semana gestacional, tais níveis tensionaisapresentam algum grau de elevação (115 x 70 mmHg, por exemplo) (GONÇALVES; FERNANDES; SOBRAL, 2002).

De acordo com seu grau de severidade, a hipertensão arterial na gravidez pode acarretar sérios danos ao binômio materno fetal. Dessa maneira, é considerada um grande fator de risco gestacional principalmente quando associada às condições socioeconômicas desfavoráveis.

Os fatores mais comunsgeradores de tensão na gestante que vão influenciar de modo negativo em todo o processo gravídico são a ausência de informações ou a prestação das mesmas de maneira incorreta. Cabe à equipe de saúde o acolhimento da gestante e de sua família, dando início ao desenvolvimento do vínculo afetivo com o novo ser (RIOS; VIEIRA, 2007).

O Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM),elaborado pelo Ministério da Saúde (MS) em 1984, inclui ações educativas, preventivas de diagnóstico, tratamento e recuperação, focando a assistência à mulher em todas as fases de sua vida, de acordo com as necessidades identificadas no perfil populacional das mulheres (BRASIL, 2007).

Para garantir a qualidade da assistência pré-natal, conforme a filosofia do PHPN (Programa de Humanização no Pré-Natale Nascimento), o MS estabeleceu diretrizes que abrangem rotinas para consultas, definição de fatores de riscos na gravidez e participação do enfermeiro, membro da equipe de saúde, no acolhimento direto à mulher durante o ciclo gravídico-puerperal (BRASIL, 2000).

Considerando a gravidade que a hipertensão arterial gestacional acarreta ao binômio mãe-filho durante a gestação, torna-se prioridadeneste estudo o esclarecimento do seguinte questionamento: Qual a percepção das mulheres portadoras de DHEG em relação à patologia?

Pressupõe-se que as gestantes vivenciem sentimentos negativos relacionados à descoberta da DHEG, como medo e insegurança, e que existam gestantes que desconheçam a patologia da qual são portadoras, bem como seu tratamento.

Este estudo justifica-se pois foramobservadas algumas situações de risco que podem acarretar danos à saúde materno-fetal, presenciados durante o curso da disciplina de Saúde da Mulher, caso as ações do PHPN não sejam realizadas adequadamente, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde. Dentre tais situações, ressaltam-se as patologias relacionadas ao ciclo gravídico, que podem culminar em mortalidade ao binômio mãe-filho, se não...
tracking img