Pensamentos sobre portugal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (799 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Portugal S.A.
Extractos para Leitura e Reflexão "As universidades, que vivem em círculo fechado, mas também o regime partidário, a sua visão medíocre do futuro, a falta de imaginação e a falta decoragem políticas contribuíram largamente para que os reflexos herdados[…] demorassem (e demorem) a dissolver-se. Refirome ao medo, à passividade, à aceitação sem revolta do que o poder propõe ao povo.Como se, tal como antigamente, a força de indignação, a reacção ao que tantas vezes aparece como intolerável, escandaloso, infame na sociedade portuguesa (tolerado, aceite, querido talvez pela maneiracomo as leis e regras democráticas se concretizam na sociedade, quer dizer no húmus das relações humanas), se voltasse para dentro num queixume infindável quanto à «república das bananas» ou «atrampa» que decididamente constituiria a essência eterna de Portugal, em vez de se exteriorizar em acção. Aliás, a diferença com o passado é que o medo continua nos corpos e nos espíritos, mas já não sesente. […] Numa palavra, o Portugal democrático de hoje é ainda uma sociedade de medo. É o medo que impede a crítica. Vivemos numa sociedade sem espírito crítico – que só nasce quando o interesse dacomunidade prevalece sobre o dos grupos e das pessoas privadas. Mas não somos livres? O poder que nos governa não é livre e igualmente eleito por todos os cidadãos? Estaremos nós a praticar, de formaperversa, mais uma variedade do queixume? Não se pode, hoje, dissociar direitos democráticos e direitos de cidadania. A cidadania política, que engloba as eleições livres com o direito universal deescolher os seus representantes, não se concebe sem os direitos sociais, iguais para todos – direitos à educação, à saúde e todo o tipo de serviços sociais.

[…] O medo entranhado, o medo incorporado, omedo sem objectivo (contrariamente à
definição de Freud, que lhe dá um objectivo, diferentemente da angústia) e, no entanto, ubíquo, companheiro de todos os instantes, doença que se agarra à pele...
tracking img