Pensamento economico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1079 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FUNDAMENTOS DE ECONOMIA
PROFESSOR: JOSÉ PINTO

3. O PENSAMENTO ECONÔMICO
. Na antiguidade (Grécia e Roma)

Pode-se dividir a história do pensamento econômico em duas grandes partes:
a) da antiguidade até o séc. XVIII;
b) do séc. XVIII até os nossos dias;

Na antiguidade
Grécia

Não existe na antiguidade obra de Economia Política semelhantes aos Tratados de Mecânica ouGeometria, por exemplo.

O predomínio da Filosofia impediu o desenvolvimento de um pensamento econômico independente e coerente, devido:
a) idéia de preponderância do geral sobre o particular;
b) idéia de igualdade;
c) idéia de desprezo pela riqueza;

Isto não significou a ausência de idéias econômicas. Nos principais Tratados de Filosofia encontram-se os primeiros elementos das grandesdoutrinas econômicas: as correntes individualistas, socialistas
e intervencionistas.

Em Roma, apesar da existência de uma vida econômica mais intensa do que na Grécia não vamos encontrar também um pensamento econômico geral e independente, pelo seguinte:
a) predominância do espírito político;
b) desinteresse do romano em produzir;

O PENSAMENTO ECONÕMICO
. Na Idade Média

Do ponto devista econômico a Idade Média pode ser dividida em dois períodos:
a) do séc. V ao séc. XI
b) do séc. XI ao séc. XIV

No primeiro período temos uma economia fragmentada em virtude da invasão dos bárbaros. Com o feudalismo, então na sua plenitude, a produção passa a ser exclusivamente rural, as trocas insignificantes, as estradas intransitáveis, a moeda de mau quilate e de restritacirculação.

No segundo período ressurge a vida econômica de trocas, a partir do séc. XII devido ao esforço desenvolvido pela igreja e pela realeza para restabelecer a ordem no campo Social e político.

O agente da nova vida econômica é a cidade que passa a se constituir um centro de comércio. Desenvolve-se a burguesia, a Associação rege o trabalho; a corporação se organiza, o comércio se expandetornando-se inter-regional sobretudo com o aparecimento das feiras, que são grandes mercados onde se efetuam grandes trocas.

Este impulso tornou-se ainda maior com as Cruzadas, iniciadas em l096 para libertar Jerusalém do domínio turco, tendo em vista o seguinte:
a) As Cruzadas criam um ambiente propício aos deslocamentos para outras regiões estimulando o comércio e pondo em contatocivilizações ocidentais e orientais.
b) Estimulam a Economia, o comércio e a indústria através do desenvolvimento das trocas.

O MERCANTILISMO

Chama-se “mercantilismo” ao conjunto de idéias e práticas econômicas surgidas na Europa entre 1450 e 1750.

Princípios Básicos:

• O Estado deve incrementar o bem estar nacional ainda que em detrimento dos seus vizinhos e colônias;
• A riquezanacional depende do aumento do volume de metais preciosos no país;
• O comércio exterior deve ser estimulado pois é por meio de uma balança comercial favorável que se aumenta o estoque de metais preciosos;
• O comércio e a indústria são mais importantes para a economia nacional do que a agricultura;

Este período constitui-se no início dos tempos modernos onde três transformaçõesbásicas ocorreram:
• De ordem intelectual
• De ordem política
• De ordem geográfica

Transformação intelectual

Florescem as artes , a literatura e a ciência. A noção de progresso se impõe. A estagnação econômica da Idade Média cede lugar ao movimento e à dinâmica econômica dos tempos modernos. A habitação se transforma. A alimentação se diversifica com o uso do açúcar eespeciarias.O prazer pelas viagens se desenvolve. Mas, é sobretudo com a invenção da imprensa em 1450 por Gutemberg que as idéias se desenvolvem de maneira decisiva.

Transformação Política

O século XVI vê surgir o Estado Moderno. A centralização monárquica vai tomando o lugar dos pequenos núcleos feudais. O mercado passa de regional à nacional e internacional.

Transformação Geográfica

O fim...
tracking img