Pensadores sociologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1511 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
MANUEL CASTELLS E A EDUCAÇÃO

Trabalho apresentado à Professora Janete Flor de Maio como parte das exigências do curso de Pedagogia da disciplina de SOCIOLOGIA E EDUCAÇÃO I pelas alunas:
Andréia Feliciana Alves Silva, matrícula 09.2.8465,
Dionise Cristiane Teixeira Siqueira matrícula 09.2.8456,Érica Fernanda Bueno de Souza, matrícula 09.2.9317,
Sônia Maria Alves Godoi, matrícula 09.2.8473.

JOÃO MONLEVADE
ABRIL/2009

MANUEL CASTELLS

BIOGRAFIA

Nasceu em Hellín, Albacete, em 1942. Estudou Ciências Econômicas na Universidade de Barcelona. Ativista estudantil durante a ditadura do general Franco, fugiu aFrança, onde se licenciou na Sorbona. Se doutoro em Sociologia pelas Universidades de Paris e Madri.
Começou sua atividade docente em Paris, na Sorbona. Professor de diversas universidades européias e americanas, entre elas Berkeley, Autônoma de Madri, Nanterre, Montreal, Católica de Chile, Wisconsin, etc. Membro da Academia Européia e do Alto Comitê de Experientes sobre a Sociedade da Informaçãonomeado pela Comissão Européia.

Castells, afirma que apesar de todas as revoluções ocorridas no mundo, que fizeram surgir a globalização a sociedade conseguiu se beneficiar das mudanças, mantendo sua identidade cultural, fazendo com que as relações tanto ambientais como humanas se tornassem mais passivas. Segundo ele com o surgimento da era da informação o estado perdeu suas basespolíticas ficando assim na defensiva. Surge então a era da informação os movimentos sociais, apoiados na globalização. Assim fica marcada uma geração de sociedade centralizada na informação com prevalência de sua identidade. Em seu livro “A Galáxia da Internet” o autor descreve as mudanças ocorridas nas empresas e as transformações sociais ocorridas. Já em “Conversas com Manuel Castells, o mesmo afirmaque o único papel da universidade é a sua independência, pois só tendo liberdade os investigadores poderão desenvolver a ciência e a cultura em longo prazo e vai além quando afirma que se as universidades ficarem submissas às instituições governamentais, matar-se-ão as inovações cientificas, tecnológicas e culturais de nossa sociedade, e que se não fosse a liberdade das pesquisas universitáriasnão existiria internet, computarização avançada ou engenharia genética. Em entrevista Castells diz que não se deve apenas investir buscando transformar o sistema educativo, e sim investir numa formação profissional que vise a interação com o sistema tecnológico, buscando sempre inovação tanto administrativa como cultural. No livro “A sociedade em rede do conhecimento a Ação Política, alerta para ofato da política da educação ser um fator chave para o sucesso da sociedade do conhecimento.
Em um de seus livros mais conhecidos “a Sociedade em Rede o autor fala sobre as redes criadas nas sociedades, sobre tecnologia e as mudanças ocorridas com o avanço tecnológico”. Castells foca ai a revolução tecnológica e as novas tecnologias da informação e comunicação.
O sistema de comunicação digitale o crescimento financeiro marcam o avanço tecnológico no mundo inteiro. Para Castells tanto a tecnologia depende da sociedade quanto a sociedade depende da tecnologia, e que o estado pode sufocar o desenvolvimento da tecnologia, enquanto a informação é crucial para todas as sociedades e o termo informacional indica uma geração onde a transmissão da informação é fonte de produtividade e poder.
Asociedade em rede surge com a interação de forças autônomas que são as novas tecnologias e o uso do poder da tecnologia a serviço da tecnologia do poder. (p64).
Enfim Castells afirma que a lógica de redes gera uma determinação social “O poder dos fluxos é mais importante que os fluxos de poder”.
A tecnologia da informação, ou seja, a era da comunicação que estamos vivendo consegue...
tracking img