Pegando fila... contando um pouco da cotidianidade do trabalhador desempregado na cidade de são paulo.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (448 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
BATISTA, Neíza Cristina Santos. PEGANDO FILA... contando um pouco da cotidianidade do trabalhador desempregado na cidade de São Paulo. 2005. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) – PontifíciaUniversidade Católica de São Paulo.

RESUMO

As filas de desemprego são hoje um fragmento comum à cidade de São Paulo, servindo enquanto indicadores de uma realidade contraditória entre aestrutura jurídica e a cultura política do Brasil, de sua perspectiva histórica relacionada ao mercado de trabalho e à forma de operacionalização das políticas públicas voltadas ao emprego, trabalho egeração de renda que ainda se mostram insipientes frente à alta demanda de trabalhadores desempregados de nosso país. A partir desse movimento, essa pesquisa corresponde a uma opção pelo cotidiano dostrabalhadores desempregados da cidade de São Paulo, trabalhando-se, em especial, as filas de desemprego da Força Sindical situadas nos bairros da Liberdade e no Largo Treze de Maio no bairro de SantoAmaro.
Nessa perspectiva propomos amplificar as várias vozes presentes nestes espaços, buscando entender a partir dos sentidos ali presentes se o "estar em fila" mobiliza, é tático ou desagrega. Paratanto, nos embasamos no referencial construcionista, enfocando a linguagem em ação, na concepção de apropriação de espaços apresentada por Milton Santos, na percepção sobre as relações em cidadeproposta por Zygmunt Bauman e na discussão trazida por Michel de Certeau sobre o cotidiano. A partir do entrecruzamento de materialidades e sociabilidades surgidas nas conversas entre a pesquisadora eatores dos espaços das filas, estas são apresentadas e discutidas nesta narrativa partindo-se do pressuposto de que esse modo de organizar a espera nas cidades constitui um espaço comum de interações quepermitem uma riqueza de construções sociais, aproximando estranhos que uma cotidianidade densa e fluída transformando os espaços. As pessoas interagem dialogando, questionando, brincando, rindo,...
tracking img