Pedagogia Hospitalar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6915 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS
CENTRO DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO
CURSO DE PEDAGOGIA







ÉDINA VANESSA DIAS BARCELOS





A ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NO AMBIENTE HOSPITALAR











Pelotas
Dezembro, 2012.

ÉDINA VANESSA DIAS BARCELOS












A ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NO AMBIENTE HOSPITALAR




Artigo apresentado à Universidade Católica dePelotas, como requisito de conclusão do curso de Pedagogia, realizado pela aluna Édina Vanessa Dias Barcelos, sob a orientação da Profª. Ms. Ana Beatriz Longo Rodrigues.
















Pelotas
Dezembro, 2012




















“O nascimento do pensamento é igual ao nascimento de uma criança, tudo começa com um ato de amor, uma semente há de ser depositada em umventre vazio e a semente do pensamento é um sonho. Por isso nós, pais e professores, antes de sermos especialistas em ferramentas do saber, deveriam ser especialistas em amor: intérpretes de sonhos”.
Rubem Alves, 2003.

A ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NO AMBIENTE HOSPITALAR
Édina Vanessa Dias Barcelos.1

RESUMO

Este artigo relata o desenvolvimento positivo do profissional de pedagogia em relaçãoàs novas normas de ensinar e a importância deste processo. O Pedagogo, ao decorrer dos anos, sai do ambiente escolar para fazer parte da escolarização de crianças hospitalizadas,fazendo com que o ensino seja levado até o aluno enfermo e,dessa forma, o risco de repetir as disciplinas é bem menor. Este processo pode influenciar, inclusive, na autoestima do paciente,pois, além da aprendizagem, sãotambém realizadas brincadeiras, jogos e diversas recreações com intuito desta nova proposta auxiliar na aceitação de medicações e de amenizar o desconforto por estar em um ambiente estranho.

PALAVRAS-CHAVE

Pedagogo. Pedagogia Hospitalar. Hospital.














INTRODUÇÃO

A pedagogia surgiu há muitos anos na Grécia antiga onde se nomeava como paidagogismo, desde então, suaorigem só foi crescendo e evoluindo. No inicio do século XXI ocorreram algumas mudanças na área da educação no que diz respeito à organização curricular no curso de Pedagogia, ou seja,o Pedagogo passou a atuar também fora do âmbito escolar, e começou a explorar outros espaços, incluindo o espaço Hospitalar. Sabe-se que historicamente este espaçoera privilegiado por profissionais da área da saúde,(médicos e enfermeiros), a partir do século XX (VASCONCELOS, 2006apudMATOS; TORRES, 2010)começaram a surgir Psicólogos, Assistentes Sociais, Fisioterapeutas, etc. Com relaçãoà presença do pedagogo no espaço hospitalar pode-se dizer que:

[...] ganham espaço através das determinações dispostas na resolução nº41, de 13 de outubro de 1995 (BRASIL,1995), do conselho nacional de direitos da criança e doadolescente, que dispõe sobre os amplos direitos da criança e do adolescente hospitalizados dentre eles o acompanhamento curricular. (MATOS;TORRES,2010, p. 41-2).

Segundo a lei, a hospitalização não está, necessariamente, limitada ao aprendizado escolar, por esta razão, a Política Nacional de Educação Especial (MEC/SEESP, 1994, 1995) criou uma nova modalidade de ensino: a classe hospitalar. Odecreto 1.044 de 21 de outubro de 1969 dispõe de um tratamento excepcional dos alunos portadores de necessidades especiais, no art. 2 os alunos tem direito ao processo de compensação devido à ausência nas aulas e ao acompanhamento domiciliar. É visível que este acompanhamento deva ser feito pelo Pedagogo. Conforme a autora relata:

[...]convencionalmente em nossa sociedade, o lugar do professoresteve voltado para a escola formal. Em tempos modernos, esses lugares estão sendo cada vez mais polarizados. Não existem mais fronteiras para a ação do professor. O hospital conhecido como convencionalmente o lugar das seringas, injeções, e do sofrimento, passa a ser também o espaço do caderno, do lápis,das tintas do colorido, da alegria, e da produção infanto juvenil (PAULA,2003apud...
tracking img