Patrimonio cultural imaterial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3558 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
OSASCO
2012


SUMÁRIO
Introdução


1. Etimologia

2. História

1. Centro Histórico de Olinda

3. Demografia

4. Economia

5. Patrimônio

6. Atrações

1. Urbanismo e Arquitetura

7. Principais monumentos

1. Sé de Olinda

• Histórico

• Características

2. Igreja e Mosteiro de São Bento

• Origem

• OMosteiro

• A igreja

7.3 Convento de São Francisco (Olinda)

8. Curiosidades

9. Bibliografia






Centro Histórico de Olinda
Pernambuco - Brasil

“Olinda não é uma cidade – é um jardim recheado de obras primas.”
Michel Parent – Consultor da UNESCO



[pic]
Vista do alto da Sé de Olinda com Recife ao fundo.

[pic]
Olinda é um município brasileiro do estado dePernambuco, na Região Metropolitana do Recife, com 375 559 habitantes, sendo uma das mais bem preservadas cidades coloniais do Brasil. Foi à segunda cidade brasileira a ser declarado Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO, em 1982.

Etimologia

Um mito popular diz que o nome Olinda teria a sua origem numa suposta exclamação do fidalgo português Duarte Coelho, primeirodonatário da Capitania de Pernambuco – "Oh, linda situação para se construir uma vila!".

[pic]

História

Localizada no estado de Pernambuco, é uma das mais antigas cidades brasileiras, tendo sido fundada (ainda como um povoado) em 1535 por Duarte Coelho. O donatário fez tudo pelo desenvolvimento da terra. Fundou o primeiro engenho de açúcar, desenvolveu a agricultura, estabeleceu umlivro de Tombo e em 1537 foi elevada a vila no dia 12 de março. Duarte Coelho ordenou a construção de um edifício destinado ao funcionamento da Câmara do Senado de Olinda, prédio este doado, em 1676, ao primeiro bispo de Olinda, Dom Estevam Brioso de Oliveira, que o converteu em um palácio episcopal, tudo que ainda hoje conserva. Olinda era sede da capitania de Pernambuco, mas foi incendiada pelosholandeses devido à sua localização. Segundo a concepção holandesa de fortificação, Olinda detinha um perfil de difícil defesa. Diante disso, a sede foi transferida para o Recife.
Em 1630, Olinda foi tomada pelos holandeses que a incendiaram no ano seguinte; em 1654, os portugueses retomaram o poder e expulsaram os holandeses. Olinda voltou a ser capital de Pernambuco, muito embora osgovernadores residissem no Recife. Por volta de 1800, com a fundação do Seminário Diocesano e, em 1828, do Curso Jurídico, transformou-se num burgo de estudantes. Deixou de ser a Capital da Província em 1837, perdendo o título de capital para o Recife.
Sob certos aspectos Olinda rivalizava com a metrópole portuguesa. Seus velhos sobrados tinham dobradiças de bronze, enquanto as igrejas, principalmente a Sé,ostentavam em suas portas principais dobradiças de prata e chaves fundidas em ouro.
Foi no Senado da Câmara de Olinda que, a 10 de novembro de 1710, o sargento mor Bernardo Vieira de Melo deu o primeiro grito em prol da independência nacional.
Os primeiros cursos jurídicos do Brasil, criados pelo Decreto Imperial de 11 de agosto de 1827, foram inaugurados solenemente no mosteiro de São Bento, a15 de maio de 1828. Antes de sua transferência para o Recife, os Cursos Jurídicos funcionaram no prédio em que atualmente se encontra a prefeitura.
2.1 O Centro Histórico de Olinda abrange a área histórica do município brasileiro de Olinda, no estado de Pernambuco. Quase um terço da área total do município é tombado pelo patrimônio histórico. A preservação desse sítio histórico começou na décadade 1930, quando os principais monumentos foram tombados. A partir daí foram promovidas várias ações no sentido de preservar todo o patrimônio histórico, cultural e arquitetônico do município. O sítio foi declarado, em 1980, Monumento Nacional, pelo Congresso Nacional, e, em 1982, reconhecido como patrimônio mundial pela UNESCO.
[pic]

Rua Prudente de Morais, no Centro Histórico de Olinda...
tracking img