Parnasianismoesimbolismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1027 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

Parnasianismo: O Parnasianismo foi um movimento literário que surgiu na França, na metade do século XIX e se desenvolveu na literatura europeia, chegando ao Brasil. Esta escola literária foi uma oposição ao romantismo, pois representou a valorização da ciência e do positivismo. O nome parnasianismo surgiu na França e deriva do termo "Parnaso", que na mitologia grega era o monte dodeus Apolo e das musas da poesia. Na França, os poetas parnasianos que mais se destacaram foram: Théophile Gautier, Leconte de Lisle, Théodore de Banville e José Maria de Heredia. Características do Parnasianismo

* Objetividade no tratamento dos temas abordados. O escritor parnasiano trata os temas baseando na realidade, deixando de lado o subjetivismo e a emoção;

* Impessoalidade: a visão doescritor não interfere na abordagem dos fatos;

* Valorização da estética e busca da perfeição. A poesia é valorizada por sua beleza em sí e, portanto, deve ser perfeita do ponto de vista estético;

* O poeta evita a utilização de palavras da mesma classe gramatical em suas poesias, buscando tornar as rimas esteticamente ricas;

* Uso de linguagem rebuscada e vocabulário culto;

* Temasda mitologia grega e da cultura clássica são muito frequentes nas poesias parnasianas;

* Preferência pelos sonetos;

* Valorização da metrificação: o mesmo número de sílabas poéticas é usado em cada verso;

* Uso e valorização da descrição das cenas e objetos. Parnasianismo no Brasil No Brasil, o parnasianismo chegou na segunda metade do século XIX e teve força até o movimento modernista(Semana de Arte Moderna de 1922). Os principais representantes do parnasianismo brasileiro foram: A "Tríade Parnasiana": Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto de Oliveira, e Francisca Júlia, e Vicente de Carvalho.

CARACTERÍSTICAS DO PARNASIANISMO ARTE PELA ARTE – É a arte pelo simples prazer de fazer arte, sem a influência dos sentimentos, das emoções.

PERFEIÇÃO FORMAL – O poeta busca, aqualquer custo, a perfeição exterior dos poemas. Passam a ter valor os seguintes aspectos:

a) rimas ricas e raras;

b) vocabulário erudito, às vezes técnico- científico;

c) composição de soneto (2 quartetos e 2 tercetos);

d) clareza e lógica;

e) poesia descritiva;

f) ausência de emoção.

Análise de Poesias Parnasianas

(Vaso Chinês) Estranho mimo, aquele vaso! Vi-o Casualmente,uma vez, de um perfumado Contador sobre o mármor luzidio, Entre um leque e o começo de um bordado. Fino artista chinês, enamorado Nele pusera o coração doentio Em rubras flores de um sutil lavrado, Na tinta ardente, de um calor sombrio. Mas, talvez por contraste à desventura - Quem o sabe? - de um velho mandarim Também lá estava a singular figura; Que arte, em pintá-la! A gente acaso vendo-a Sentiaum não sei quê com aquele chim De olhos cortados à feição de amêndoa. Alberto de Oliveira

(Mal Secreto)

Se a cólera que espuma, a dor que mora

N’alma, e destrói cada ilusão que nasce,

Tudo o que punge, tudo o que devora

O coração, no rosto se estampasse;

Se se pudesse, o espírito que chora,

Ver através da máscara da face,

Quanta gente, talvez, que inveja agora

Nos causa,então piedade nos causasse!

Quanta gente que ri, talvez, consigo

Guarda um atroz, recôndito inimigo,

Como invisível chaga cancerosa!

Quanta gente que ri, talvez existe,

Cuja ventura única consiste

Em parecer aos outros venturosa!

Raimundo Correia

Análise de alguns trechos de Poemas Parnasianos

(Profissão de Fé)

“Quero que a estrofe cristalina,

Dobrada ao jeitoDo ouvires, saia da oficina

Sem um defeito”.

Olavo Bilac

(Vaso Grego)

“Esta, de áureos relevos, trabalhada

De divas mãos, brilhante copa, um dia,

Já de aos deuses servir como cansada,

Vinda do Olímpio, a num novo deus servia.

Era o poeta de Teos que a suspendia.

Então e, ora repleta ora esvazada,

A taça amiga aos dedos seus tinia

Todas as roxas pétalas colmada”....
tracking img