Parecer técnico: sala de atermação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1119 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ANEXO I-A
PARECER TÉCNICO: SALA DE ATERMAÇÃO
1. Interessado: JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA – SEÇÃO JUDICIÁRIA DE
RORAIMA.
2. Objetivo: O presente Parecer Técnico tem como objetivo a análise técnica do estado da
área de alternação do edifício da Seção Judiciária de Roraima, com apontamento dos
danos verificados na estrutura, as causas prováveis de tais danos, as medidas necessárias
parareparo e a justificativa de que tais medidas são suficientes e necessárias para o
aludido reparo.
3. Objeto: O objeto principal é a sala de alternação do edifício da Seção Judiciária de
Roraima, no que tange aos seus componentes que apresentam danos em forma de fissuras
que servem de aviso de perigo, de comprometimento quanto à estanqueidade à água,
durabilidade e isolação acústica, além doconstrangimento psicológico sobre o usuário do
ambiente onde essas fissuras aparecem.
4. Desenvolvimento dos trabalhos: Os trabalhos do presente Parecer Técnico foram assim
desenvolvidos:
4.1 Vistoria: Foi efetuada a primeira vistoria da sala objeto deste Parecer Técnico na
manhã do dia 25 de julho próximo passado, em companhia da Sra. ANA GARDENE
COSTA GONÇALVES, Diretora do SECAD emExercício. Nesta oportunidade foram
detectados os danos que vêem ocorrendo no revestimento da laje de forro, com sinais
visíveis a olho nu de fissuras em várias direções, porém com predominância na direção
das vigotas da laje pré-fabricada que foi utilizada como solução estrutural em todas as
dependências do prédio da Seção Judiciária de Roraima. Foram nesta oportunidade
efetuadas as primeiras tomadasfotográficas, ilustradas nas figuras de nº 01 a 04 do Anexo
deste Parecer Técnico.
Tendo em vista a necessidade de melhorar a avaliação das causas das fissuras em
questão, procedeu-se a retirada parcial do revestimento do teto, em duas amostras, quando
se constatou, numa segunda visita, realizada no dia 1 de agosto próximo passado, a
natureza da laje de forro e dos revestimentos queessencialmente podem ser assim
descritos:
a) confirmação da laje de forro tipo pré-moldada, com vigotas em concreto armado
dispostas em uma só direção e lajotas cerâmicas furadas;
b) não há vestígio evidente de chapisco de argamassa de cimento e areia nas
superfícies das vigotas e cerâmicas, para melhor aderência do emboço e reboco de teto;
c) existem duas camadas de revestimento sendo a primeira,de menor espessura,
formada com argamassa de cimento e areia e a segunda, de maior espessura, com
argamassa de cimento, areia e barro e armada com tela (tipo galinheiro), usual em teto de
estuque. As figuras de nº 05 a 08 do Anexo deste Parecer Técnico ilustram a natureza
acima descrita.
4.2 Análise da estrutura: As causas básicas, prevenções e recuperações das fissuras nas
edificações têmsido objetos de investigações há bastante tempo. A literatura técnica
resume essas causas básicas da seguinte forma:
a) movimentação térmica causada pelo que se convencionou chamar de “choque
térmico”, provocado por variação brusca (em poucas horas) da temperatura, mesmo
considerada menos que 10 ºC. Um material para ser bem resistente ao “choque térmico”
deve ter boa condutibilidade térmica,baixo coeficiente de dilatação, baixo módulo de
deformação e elevada resistência aos esforços de tração. No caso em questão, situado na
capital Boa Vista, o fenômeno do “choque térmico” está presente diariamente de forma
intensa, sendo responsável pela diferença de movimentação existente entre a cerâmica e a
vigota em concreto amado da laje pré-moldada, causando principalmente fissuraslongitudinais a essas vigotas. O uso de malha de aço no pano da laje é um recurso
recomendável pelos fabricantes para amenizar esse efeito negativo. Uma argamassa mal
especificada ou mal executada, com espessura exagerada e com baixa resistência a tração,
como aquela utilizada no teto da sala da alternação, ficam mais sujeitas às fissuras, mesmo
com uso de telas auxiliares (tipo galinheiro);
b)...
tracking img