Paralisia cerebral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7214 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO

POMPÉIA

Fisioterapia

Prof.ª Marcia Mulin

Paralisia Cerebral

Andressa Brito Amaral

Eva Andreia R.S da Silva

Tamires Gabriela Fogaça

São Paulo

Maio

CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO

POMPÉIA

Andressa Brito Amaral

Eva Aparecida

Tamires Gabriela Fogaça

Paralisia Cerebral

Fisioterapia

Prof.ª Marcia Mulin

São PauloMaio

Sumário

INTRODUÇÃO 4

PARALISIA CEREBRAL 5

INCIDÊNCIA 6

CAUSAS DA PARALISIA CEREBRAL 7

CLASSIFICAÇÕES 9

DIAGNÓSTICO 12

TIPOS DE TRATAMENTOS 13

PROGNÓSTICO 25

CONSIDERAÇÕES FINAIS 26

REFERÊNCIAS 27

INTRODUÇÃO

Vários são os tipos de paralisia cerebral e desde que o primeiro estudo foi apresentado muito tem se modificado.
Little (1953) descreve uma síndromecaracterizada por rigidez muscular e ocasionada por diversos fatores que acarretam asfixia do recém – nascido.
No início deste século , Phelps fez as primeiras tentativas de tratamento para um grupo de crianças com alterações semelhantes às de Little, surgindo o termo paralisia cerebral, utilizado para designar um grupamento de caráter terapêutico.
Keats (1970) define a paralisia cerebralcomo um termo geral usado para designar qualquer paralisia, fraqueza, falta de coordenação ou desvio funcional do sistema motor que é resultado de lesões intracranianas.
Leitão (1983) acrescenta que paralisia cerebral é um grupo extremamente heterogêneo reunindo distúrbios motores ocorrentes no período pré, peri ou pós-natal, sendo impossível definí-lo satisfatoriamente.
Tabith (1995), explica queo termo paralisia cerebral é inadequado porque indicaria uma ausência total de atividades físicas e mentais , complementando Leitão que afirma que o termo paralisia cerebral é descritivo, não específico e ambíguo e o apresenta como um distúrbio da função motora, de início na primeira infância e apresenta como características paralisias, espasticidade e/ou movimentos involuntários dos membros eataxia.
Apesar das contradições relativas à nomenclatura “Paralisia Cerebral”, uma das definições mais aceitas ainda hoje é a utilizada pelo Little Club de Oxford, desde 1958, na qual a paralisia cerebral é apresentada como uma sequela de agressão encefálica, caracterizada por um transtorno constante, mas variável, de tônus, postura e movimento, que aparece na primeira infância, e é secundário auma lesão não evolutiva do encéfalo e à influência que essa lesão exerce sobre a maturação neurológica.

PARALISIA CEREBRAL

A paralisia cerebral (PC) é caracterizada por uma alteração dos movimentos controlados ou posturais dos pacientes, aparecendo cedo, sendo secundária a uma lesão, danificação ou disfunção do sistema nervoso central (SNC) e não é reconhecido como resultado de uma doençacerebral progressiva ou degenerativa. O evento lesivo pode ocorrer no período pré, peri ou pós-natal.
O distúrbio do cérebro é estacionário, mas o comprometimento dos movimentos é progressivo quando não se faz tratamento. Esta deficiência motora central esta frequentemente associada a problemas de fala, visão e audição, com vários tipos de distúrbios da percepção, um certo grau de retardo mentale epilepsia. Por isto é muito importante iniciar o tratamento; objetivando a correção dos movimentos executados erroneamente, obtendo assim movimentos mais precisos e corretos. Este tratamento é de suma importância nos indivíduos com Paralisia Cerebral, pois, os tonos dos músculos dependendo da complexidade da deficiência podem apresentar-se, demasiadamente, flácidos ou tensos. E o treino ouexercício específico permitirão dar ao indivíduo condições de melhorar sua qualidade de vida.

INCIDÊNCIA

A Paralisia Cerebral é um distúrbio comum com prevalência em 2 para cada 1.000 habitantes. Com o aperfeiçoamento da assistência obstétrica, a incidência da Paralisia Cerebral vem diminuindo.
Não é fácil determinar a incidência de PC pelo fato dos critérios de diagnóstico ser difícil de...
tracking img