Paradigmas da cultura organizacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3717 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UEMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO
CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
POLO LAGO DA PEDRA TURMA LAGO DA PEDRA
DISCIPLINA SOCIOLOGIA ORGANIZACIONAL
SEMINÁRIO INTEGRADOR

PARADIGMAS DA CULTURA ORGANIZACIONAL

ALUNOS : Antonio Olimpio de Oliveira e Tiago Alves Sá

SUMARIOResumo 1 – Introdução 2 – Cultura organizacional 3 – Cultura versus clima organizacional 4 – Influência da cultura nacional 5 – Diferentes abordagens da cultura organizacional 6 – Cultura em equipes interdisciplinares 7 – Mudanças de paradigmas (novos paradigmas) 7.1 Novos paradigmas (gestão do conhecimento) 7.2 – Mudanças de paradigmas (ética e responsabilidade social) 7.3 – Mudanças deparadigmas ( foco nas pessoas) 8 – Dificuldade para mudanças 9 – Conclusão.
RESUMO
Neste resumo procuramos discorrer sobre alguns conceitos e abordagens sobre a cultura organizacional que nos ajudará na compreensão dos aspectos e traços relacionados às organizações públicas e privadas. Será apresentado um texto condensado com os conceitos ecaracterísticas, entre as quais, a burocracia, o autoritarismo centralizado, o paternalismo, a descontinuidade e a ingerência política e no tópico final sobre o tema, salienta-se os aspectos fundamentais a serem considerados ao lidar com a cultura de organizações publicas no Brasil.
Noutro capítulo, será apresentado o conceito de paradigma organizacional e suas distinções entre o bom ou ruim, comotambém a observação de seus valores e suas crenças que são abordados de maneira simples e objetiva na tentativa de mostrar as implicações da modificação do ambiente organizacional interno e externo e discutindo também o papel da organização diante da sociedade, notadamente nos quesitos referentes à prática gerencial de respeito ao individuo dentro da instituição, além da implementação do que osteóricos chamam de novos paradigmas aqui destacados: “Ética e responsabilidade social”, “foco nas pessoas” e “gestão do conhecimento”. Porém não deixou-se de lado, algumas considerações sobre modelos desanimadores que impedem a maximização das capacidades individuais nas organizações que são: A autocracia, o individualismo e o conformismo. Finalizamos com a conclusão de que uma nova proposta degestão num ambiente organizacional abatido, demanda tempo e compreensão de todos os fatores internos e externos enfim, a sua complexidade sócio-politico-cultural.
1- INTRODUÇÃO
Quando se fala em paradigmas, diz-se que seguimos um modo de ser ou de agir, que estar condicionado a uma forma de pensar. Então , paradigmas, caracteriza-se pelo conjunto de crenças ou verdades que se relacionam entresi, formando assim uma forma individual ou coletiva de pensar. Esta forma de pensar é que nos conduz na vida e pode mudar de acordo com o nosso cotidiano. Sabemos que é verdade que o planeta gira em torno do sol, mas muitos têm a crença de que somos os únicos no universo. Desta forma, estas e outras verdades e crenças se relacionam entre si, fazendo nos acreditar em algo mesmo sendo improvável. Issoé um paradigma.
O paradigma pode ser bom ou ruim ao mesmo tempo, pois a partir do instante em que nos faz filtrar qualquer coisa que seja diferente daquilo que pensamos ou acreditamos, acaba ocorrendo uma filtração também de coisas desnecessárias para a nossa vivência, ocorrendo uma poda na busca por algo novo e nos tira a capacidade de duvidar ou questionar tais crenças e pensamentosdeixando-nos enraizados e sem impulsos para mudar um paradigma, portanto há necessidade de uma busca mais profunda no inconsciente, para a promoção de novos modelos individuais.
No âmbito organizacional, em que as organizações possuem seus valores e crenças, que moldam os paradigmas e que dão origem à cultura organizacional. Estes modelos podem ser mudados a partir da busca pela inovação, na...
tracking img