Para alcançar a alfabetização, a criança cega deve antes, enriquecer e ampliar o seu mundo de significação por meio de vivências psicomotoras, cognitivas e sócio afetivas.

Páginas: 11 (2596 palavras) Publicado: 6 de abril de 2011
OBJETIVO:
Este trabalho tem como objetivo pesquisar sobre as necessidades prévias das vivências psicomotoras, cognitivas e sócio afetivas para facilitar a alfabetização do deficiente visual.

JUSTIFICATIVA:
A principal justificativa da pesquisa fundamenta-se que para alcançar a alfabetização a criança com deficiência visual deve enriquecer e ampliar o seu mundo de significação por meio dasvivências psicomotoras, cognitivas e sócio afetivas citadas no trabalho.

INTRODUÇÃO:
Este trabalho tem como tema “Para alcançar a alfabetização, a criança cega deve antes, enriquecer e ampliar o seu mundo de significação por meio de vivências psicomotoras, cognitivas e socioafetivas”. Para a elaboração, foi necessária a pesquisa de cada item de forma separada. O papel da família, o papel daescola e sociedade.

TÍTULO: Para alcançar a alfabetização, a criança cega deve antes, enriquecer e ampliar o seu mundo de significação por meio de vivências psicomotoras, cognitivas e sócio afetivas.
DESENVOLVIMENTO:

O desenvolvimento das habilidades de orientação e mobilidade, parte essencial do processo educacional de qualquer criança deficiente visual, precisa começar desde cedo, em casa,com o apoio dos pais. Depois, o treinamento continuará na escola, com o professor especializado.
Cabe a família oferecer ao portador de deficiência visual condições para seu crescimento como indivíduo, tornando-o capaz de ser feliz e produtivo, dentro de sua realidade, de suas potencialidades e de seus limites.

Embora nem sempre seja fácil, a família precisa entender que o portador dedeficiência é acima de tudo, uma pessoa total, evitando focalizar a atenção na cegueira, ou na baixa capacidade visual. 
A primeira atitude importante consiste em acreditar nas potencialidades da criança, considerando-a capaz de estudar, de ser independente, praticar esportes e tantas outras coisas que seus amigos fazem.
Para muitos portadores de deficiência, a maior dificuldade está na falta deoportunidades. Troca de experiências, sentimentos e informações que ajudam compreender a necessidade que crianças e adultos têm de um espaço para construir juntos novos valores e significados.

A escola e sociedade também devem contribuir no sentido de ajudar a enfrentar os obstáculos colocados pela deficiência. A escola é uma das grandes aliadas na luta pela integração. Nesse espaço, as questõesrelacionadas a preconceitos, mitos e estigmas podem ser debatidas e analisadas por todos: professores, alunos e funcionários. 

Ao abrir suas portas igualmente para os que enxergam e os que não enxergam, a escola deixa de reproduzir a separação entre deficientes e não-deficientes que há na sociedade. Ao se tornar um espaço de inclusão, a escola promove trocas enriquecedoras para toda a equipe escolar,incluindo os alunos e suas famílias. 

A fonte de informações mais importante para o educador traçar sua diretriz de ação junto ao educando é saber como ele é (como percebe, age, pensa, fala e sente).
 
O deficiente visual percebe a realidade que está a sua volta por meio de seu corpo, na sua maneira própria de ter contato com o mundo que o cerca. Para conhecer o deficiente visual e seussignificados (interesses e conhecimentos) e habilidades, é necessário acompanhá-lo nesse trajeto percorrido pelo seu corpo, prestando atenção ao referencial perceptual que ele irá revelar que não é o da visão. Partindo dos próprios caminhos perceptuais dos deficientes visuais, o educador pode oferecer-lhes oportunidades para entrarem em contato com novos objetos, pessoas e situações e, assim, saber (ouaprender). 

Aprender é aqui entendido como a capacidade humana de receber, colaborar, organizar novas informações e, a partir desse conhecimento transformado, agir de forma diferente do que se fazia antes. 

Todos os que rodeiam o deficiente visual precisam se conscientizar de que suas relações inter-pessoal podem ser saudáveis e baseadas na reciprocidade, pois ele é uma pessoa total e...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Alfabetização de crianças cegas nas séries iniciais
  • A questão afetiva e cognitiva
  • Para ampliar socios do Grêmio
  • Paternidade Sócio-afetiva
  • Paternidade sócio afetiva
  • Paternidade socio afetiva
  • Paternidade socio afetiva
  • Paternidade sócio-afetiva

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!