[Paper] o mercador de veneza

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1176 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O Mercador de Veneza

Este paper tem por objetivo argumentar sobre os fatos vistos no filme ‘O mercador de Veneza’ em que há uma situação de conflito de vários interesses, sobre as pessoas envolvidas, e como esta situação foi resolvida.
O filme começa nos contando sobre o ano de 1596, e falando sobre a intolerância aos judeus no séc. XVI em Veneza, que era uma poderosa Cidade Estado da Europa.Na época os judeus eram obrigados a morar em um local ruim da cidade, e durante o dia, qualquer judeu que saísse daquele local, deveria usar um gorro vermelho para ser identificado como judeu. O filme também nos conta sobre a usura, que era o empréstimo de dinheiro á juros, e era contra a lei cristã na época. Logo no começo do filme, vemos um de nossos principais personagens, Antônio, ser chamadopor Shylock, então, Antônio, vendo que era um judeu, cuspiu em Shylock, neste momento já senti apatia por Antônio, pois mesmo não sabendo o que poderia ter acontecido com os personagens antes deste fato, percebi que se tratava apenas de preconceito, contra não uma pessoa com a qual teve algum problema, mas apenas por um judeu. Mas aquele comportamento era algo normal naquela época.
Logo após ofato ocorrido, Bassanio, um amigo de Antônio, o conta que estava quebrado financeiramente, e com grandes dívidas. Por este motivo, ele conta a Antônio, que era seu maior credor em dinheiro e afeto, que queria se casar com uma rica herdeira em Belmonte. Mas para isso ele precisaria de dinheiro. Antônio, como era um mercador e toda a sua fortuna estava investida em navios mercantes, não tinha títulosnem dinheiro, conta a Bassanio que ele deve procurar na cidade, e falar sobre os seus bons créditos, para conseguir algum dinheiro. Bassanio e Antônio vão à cidade e encontram Shylock, e pedem a ele para que faça um empréstimo de 3 mil ducados. Então Shylock propõe que se a dívida não for paga em três meses, Shylock receberia uma libra da carne da parte de perto do coração de Antônio. Vi nestaparte, não o perdão, mas uma oportunidade de vingança das humilhações de Antônio, da parte de Shylock.
Um tempo depois, Antônio perdeu seus navios no mar, e no dia de pagar os 3 mil ducados á Shylock, ele não tinha a quantia estipulada. Então Shylock resolve recorrer á justiça para que seu contrato fosse executado. Coisa que eu já não acho que ele deveria ter feito, pois a usura era contra a leique era cristã naquela época, e querer uma libra de carne, é neste ponto de vista, o mesmo que querer os juros. Mas o contrato havia sido celebrado, as duas partes consentiram, e perante a lei ele poderia tentar fazê-lo ser cumprido. Veja só, o que a sede de vingança pode fazer, mas que lei está acima das necessidades humanas? A meu ver, elas coexistem, para que o mundo seja um lugar melhor. Hojeem dia, uma coisa dessas só poderia acontecer no “submundo”, longe dos olhos da justiça.
Então, Bassanio, já casado com Porcia, retorna de Belmonte com seis mil ducados, que era o dobro do dinheiro que Antônio havia emprestado de Shylock. Mas Shylock não queria nem o dobro, nem vinte vezes o valor emprestado, queria apenas esta libra de carne, de seu inimigo, e diz que, se as pessoas têmescravos, e compram e vendem corpos de pessoas por que ele não poderia tirar apenas uma libra do corpo de seu inimigo?
É quando a noiva de Bassanio, Porcia, vestida de juiz, interfere no julgamento, a favor de Antônio. E diz a Shylock, que como os dois haviam consentido no contrato, ele poderia pegar o que era seu, exatamente uma libra de carne de Antônio, mas nem mais e nem menos, e também não poderiaderramar uma gota de sangue sequer, pois sangue não estava no contrato, e caso ele derramasse o sangue de Antônio, estaria extrapolando o que foi consentido no contrato. Pensei nesta parte que era óbvio que se Shylock tirasse uma libra de carne de Antônio, seria derramado seu sangue. Pois é certo que se nos cortamos, sangramos, qualquer animal sangra, e até as plantas sangram seiva (líquido que...
tracking img