Ovino

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3017 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO
Dos alimentos produzidos pela espécie ovina, carne e leite, a carne é o principal produto derivado dos rebanhos brasileiros. Mesmo considerando a importância da lã em rebanhos específicos, a carne tem uma representação considerável na receita do produtor. A receita com a carne ovina nos rebanhos laneiros torna-se mais importante quando a lã sofre quedas de preço no mercadointernacional. É o caso dos rebanhos gaúchos, localizados no extremo sul do Brasil que, apesar da tradição na produção de lã, foram obrigados a valorizar seus cordeiros a partir da década de 90, tornando-se o Estado do Rio Grande do Sul o principal exportador de carne ovina para o restante do país. A grande expansão no consumo de carne ovina no Brasil nos últimos 20 anos levou à busca de técnicas paraaperfeiçoar a produção, tanto em quantidade, como em qualidade. A concorrência da carne ovina proveniente de grandes produtores, como Austrália e Nova Zelândia, bem como dos países sul americanos mais tradicionais na ovinocultura, como o Uruguai, Chile e Argentina, também têm grande responsabilidade na busca de melhorar a produção de cordeiros no Brasil Aos moldes do que se faz na bovinocultura, oscruzamentos para produção de carne oferecem bons resultados. Além da maior viabilidade econômica do sistema, a exploração do vigor híbrida ou heterose permite a obtenção de produtos que normalmente apresentam maior velocidade de ganho de peso, melhor conformação, melhor conversão alimentar e maior resistência a certos fatores ambientais. Os três tipos de cruzamentos mais utilizados na ovinoculturapara produção de carne são: cruzamento industrial, cruzamento triplo e cruzamento absorvente.

RAÇAS DE OVINOS ESPECIALIZADAS PARA LÃ FINAS
MERINO AUSTRALIANO
Origem: Introduzido na Austrália em 1794 a partir da África do Sul. Provável formação racial (25% Merino Espanhol + 40% Vermont + 30% Negretti e Electoral + 5% Rambouillet).
Características raciais:
* Corpo harmonioso, com garupaarredondada;
* Cabeça larga, tamanho mediano, perfil convexo, focinho forte e boca larga;
* Orelhas curtas e vigorosas;
* Chifres com base triangular, ± espiralados (fêmeas mochas ou pequenos
* bananas;
* Supra-nasais unidas em arco com rugas transversais nos machos;
* Membros fortes e cobertos de lã.
Produção de lã: velo denso e uniforme por todo o corpo, com lã muitobranca e de extrema suavidade ao tato, resistente. Peso do velo de 7-10 Kg borregos; 9-19 Kg carneiros e de 3,5 a 4,5 Kg ovelhas. Comprimento de 7-13 cm e 12 a 23 micras de diâmetro

IDEAL (POLWARTH)
Origem: condado de Polwarth no sul da Austrália em 1880. A partir de cruzamentos
entre Merinos x Lincoln.
Características raciais:
* Corpo comprimento médio e peito proeminente;
* Cabeçamediana, larga e forte; cara sem lã nos olhos;
* Orelhas médias e bem separadas;
* Focinho róseo, forte e largo (pequenas manchas marrons);
* Pode ter variedade mocha.
Características zootécnicas:
* Produz borregos com razoável cobertura de carne;
* Suporta pastagens mais pobres;
* É a mais rústica e precoce das raças lanígeras;
* Produção de lã: qualidade superior àsraças anteriores, fibras com diâmetro reduzido (23 a 26 micras) e ondulações pronunciadas. Cor branca ou marfim, suave ao tato e de aspecto sedoso.

RAÇAS MISTAS PARA PRODUÇÃO DE LÃ E CARNE

CORRIEDALE

Origem: Fazenda de Corriedale na Nova Zelândia (1867-1879). Surgiu do cruzamento de Fêmeas Merino com Machos Lincoln.

Em 1911 foi reconhecida como raça.
Características raciais:
*Corpo harmonioso para lã e carne, tronco cilíndrico, ligeiramente compacto;
* Peito amplo, profundo e proeminente;
* Cabeça larga e forte, sem chifres e sem lã na cara, só um topete. Focinho escuro;
* Orelhas médias, bem implantadas (evitar orelhas caídas).
Características zootécnicas:
* Velo geralmente pesado, volumoso e uniforme, com lã lustrosa. Mecha compacta e definida, com...
tracking img