Outro paradigma da cultura: da diversidade da linguagem à diversidade da cultura corporal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1079 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Há algum tempo a diferença cultural foi entendida como diferença quantitativa de valores. Maior cultura, melhor nível de cultura, etc. Com o tempo, os estudos da antropologia nos conduziram a pensar que a diferença cultural expressa à diversidade da cultura humana. A natureza é comum a todos, mas a cultura é o que nos diferencia. Começaram a procurar respostas sobre os motivos da diversidadecultural. As primeiras respostas foram encontradas nos fatores geográficos, genéticos. As respostas não foram suficientes, pois num mesmo ambiente geográficos encontramos diferentes comportamentos culturais. E, pessoas com genéticas diferentes podem possuir um mesmo padrão cultural.
A questão da genética ainda nos indica questões mais complexas que a própria ciência ainda não é capaz de definir,pois se todos os homens nasceram de uma mesma matriz genética, uma única espécie [homo sapiens], o que caracteriza as diferenças mínimas na composição dos DNAS?
Atualmente, estamos diante de outra tentativa de resposta. Trata-se do paradigma da linguagem. Ou seja, entramos no campo do imaginário, do simbólico. Os autores pioneiros deste estudo são Clifford Gueertz e Levi Strauss. Nestepensamento, o que determina a cultura é a sua linguagem.
A linguagem influencia uma cultura pelo modo como dá forma à percepção que se tem da realidade. A percepção está no campo dos signos e dos significados, ou seja, as estruturas do pensamento. Trata-se de uma relação dinâmica, pois a linguagem também é influenciada pelo ambiente, e cultura, em que se desenvolve.
Por exemplo, existe uma maiordiversidade de línguas na Polinésia do que na Europa (menos pessoas a falar mais línguas). Por outro lado, em zonas extensas que partilham a mesma língua existe um maior número de dialetos (sendo que alguns são quase, se não mesmo, irreconhecíveis entre si). Por quê? No primeiro exemplo temos o fato das populações se encontrarem muito divididas por fatores geográficos - a Polinésia é constituída por umamiríade de ilhas! Isto leva a que as populações possuam culturas distintas entre si. No segundo caso, os fatores geográficos voltam a estar em causa. Quanto mais distantes forem duas regiões, e mesmo que uma centralização obrigue a uma língua comum, as populações terão diferenças culturais e a própria língua evoluirá de modo diverso - produzindo dialéticos.
A língua funciona muitas vezes comouma marca de identidade. Ela identifica o indivíduo como parte de um grupo - muitas vezes confundindo a língua com a própria nacionalidade - com fronteiras físicas e culturais bem definidas. No entanto, quanto maior for a extensão englobada por estas fronteiras, maior diversidade cultural existirá dentro delas, levando à produção de dialetos que identificam o indivíduo como elemento de grupos maisespecíficos. No estado de Rondônia encontramos mais de 37 dialetos indígemas. Cada uma da etnia fala uma língua diferente, tem uma dança ritual diferente, tem uma pintura corporal característica.
O ambiente em que uma população se desenvolve e a história dessa mesma comunidade vai, assim, moldando a sua cultura, sendo que a língua acompanha essas evoluções de modo a dar voz ao pensamento culturalda comunidade. Por exemplo, todas as pessoas vêem as diversas cores, no entanto, nem todas as línguas identificam as cores como nós (ou seja, amarelo, verde, azul, etc.). A língua Tiv da Nigéria identifica os valores de luz-sombra nas cores, e não as cores em si. Do mesmo modo, uma língua falada por uma comunidade onde a neve predomina (por exemplo, os Inuit no norte do Canadá) possui diversaspalavras para neve; enquanto uma comunidade na Amazónia poderá nem conhecer o que é neve, não possuindo uma única palavra para esta.
Mas a linguagem é mais do que a língua falada e escrita, ela engloba toda e qualquer forma de comunicar: olhares, expressões, gestos, posturas, tons de voz... e até o próprio espaço! Existe uma linguagem corporal.
De fato, os estudiosos da expressão não-verbal -...
tracking img