Os principais conflitos étnico-nacionalistas na europa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2019 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
OS PRINCIPAIS CONFLITOS ÉTNICO-NACIONALISTAS NA EUROPA

Os conflitos no centro e leste da Europa estão relacionados aos fins dos governos socialistas de cunho centralizador e autoritário, os quais foram implantados em diversos países dessa região após a Segunda Guerra Mundial. No entanto, a história da diversidade e dos conflitos étnicos na região é antiga. Ela resulta da expansão dos impériosRusso, Otomano e Austro-Húngaro, e da decomposição desses últimos entre o final do século XIX e as duas primeiras décadas do século XX.
Esses impérios controlaram diversas nações - praticamente as mesmas que foram
submetidas aos regimes comunistas do pós-guerra - e foram responsáveis pela instabilidade nas fronteiras dessa região europeia.
Os conflitos nacionalistas também estãorelacionados, muitas vezes, à falta de perspectivas de melhoria das condições de vida da população mais atingida pelas más condições socioeconômicas de determinado país. Soma-se, a tudo isso, o sentimento nacionalista - a vontade de ver os símbolos da nação não mais submetidos a outro poder. Esse sentimento, apesar de ser um elemento aglutinador, de criar laços de solidariedade, pode ser facilmentemanipulado por líderes inescrupulosos.

CONFLITO NOS BÁLCÃS: ESFACELAMENTO DA IUGOSLÁVIA

Até 1991, a Iugoslava era formada por seis repúblicas (Sérvia, Croácia, Eslovênia, BósniaHerzegóvina, Macedônia, Montenegro) e duas regiões autônomas (Kosovo e Vojvodina) pertencentes à Sérvia.
A população Iugoslávia compunha-se de várias nacionalidades (sérvios, croatas, eslovenos, macedônios, albaneses,húngaros) e algumas delas encontravam-se espalhadas em praticamente todas as seis repúblicas. Além disso, no país predominavam três religiões (muçulmana, cristã ortodoxa, católica romana) e falavam-se cinco idiomas (sérvio-croata, esloveno, albanês, húngaro, macedônio).
Essa complexa composição étnica manteve-se unida sob o governo de Josip Broz (Marechal Tito), líder de origem croata, que devido aocarisma e habilidade política e apoio aparato militar, conseguiu congregar, num único Estado, toda a diversidade nacional, religiosa e étnica.
A morte de Tito, em 1980, comprometeu esta relativa estabilidade. Em 1990, o fim da URSS fortaleceu os movimentos separatistas que desabrocharam em todas as repúblicas Iugoslavas.
O poderio militar da federação iugoslava, em grande parte controladopelos sérvios, tentou impedir a independência destas repúblicas e, para isso, contou com o apoio dos sérvios que nelas viviam.
Em junho de 1991, a Eslovênia e a Croácia declararam independência, que foi reconhecida pela Iugoslávia após breve período de violentos conflitos.
A Macedônia seguiria o mesmo caminho alguns meses depois. Neste caso, não houve guerra com o governo central. Em abril de1992, a Bósnia-Herzegóvina também declarou independência, dando origem ao mais violento e intenso conflito da região balcânica.

GUERRA NA BÓSNIA

A Bósnia-Herzegóvina era a república iugoslava etnicamente mais heterogênea: 39,5% de muçulmanos, 32% de sérvios, 18,4% de croatas.
Após ter sua independência reconhecida por diversos países europeus, pelos Estados Unidos e pela ONU, croatas,muçulmanos e sérvios passaram a disputar fatias do território bósnio. A guerra civil tornou-se da Bósnia teve início em 1992 e tornou-se acirrada quando líder sérvio, Radovan Karadzic, contrário à separação, proclamou a formação da República Sérvia da Bósnia-Herzegóvina, não reconhecendo a independência do país. A guerra se estendeu até 1995, apresentando um saldo de mais de 200 mil mortos e 2 milhõesde refugiados muçulmanos. Essa guerra foi marcada pelo
extermínio ("limpeza étnica") dos não sérvios que viviam na ex-república iugoslava, o qual contou com o apoio do então presidente da nova Iugoslávia, Slobodan Milosevic.
Em 1995, um acordo de paz selou o fim da guerra na Bósnia. Esse acordo dividiu o país em uma Federação muçulmano-croata, que controla 51% do território bósnio, e uma...
tracking img