Os grandes autores da sociologia.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2297 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SOCIOLOGIA
DANIEL BENITEZ MARQUES

OS GRANDES AUTORES DA SOCIOLOGIA.

Caxias do Sul
2011

daniel benitez marques

OS GRANDES AUTORES DA SOCIOLOGIA.

Trabalho apresentado ao Curso de Administração de Empresas da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná,para a disciplina de Sociologia.

Orientador: Prof. Wilson Sanches

Caxias do Sul

2011

1. Karl Marx e a história da exploração do homem

De acordo com a situação exposta, descordo totalmente da atitude da supervisora Ana. Por mais que ela seja do sexo feminimo, a sua atitude não foi condizente com as diretrizes da empresa. Para resolver esta situação, eladeveria ter feito uma reunião e ter colocado a situação para as colaboradoras da empresa, informando a todas sobre o que esta ocorrendo. Como solução, iria definir com a direção da empresa para instalação de cameras no setor para monitorar as colaboradoras e desta forma vigiar o andamento das atividades no setor afim de evitar situações como a que foi criada.
instalação Com o objetivo deentender o capitalismo, Marx produziu obras de filosofia, economia e sociologia, tencionando propor uma ampla transformação política, econômica e social. A principal obra de Marx, O Capital, não é sociológica, mas econômica. Todavia, é preciso elucidar alguns termos de sua fundamentação econômica, por constituírem peças básicas de interpretação. Na verdade, se produziu uma visão principalmente econômicada sociedade, precisamente porque acreditou que a compreensão dos processos históricos não pode ser feita sem referencia às maneiras como os homens produzem sua sobrevivência material.
Marx proclamava ainda a inexistência de igualdade natural e observa que o liberalismo vê os homens como átomos, como se estivessem livres das evidentes desigualdades sociais. Para Marx, as desigualdades sociaisobservadas no seu tempo eram provocadas pelas relações de produção do sistema capitalista, que divide os homens em proprietários e não-proprietários dos meios de produção. As relações entre homens se caracterizam por relações de oposição, antagonismo, exploração e complementaridade entre as classes.
A história do homem é, conforme Marx, a história da luta de classes, da luta constante entreinteresses opostos, embora esse conflito nem sempre se manifeste socialmente sob a forma de guerra declarada. As divergências, oposições e antagonismos de classes estão subjacente a toda relação social, nos mais diversos níveis da sociedade, em todos os tempos, desde o surgimento da propriedade privada.
Para Marx, o trabalho, ao se exercer sobre determinados objetos, provoca nestes uma espécie de“ressurreição”. Tudo o que é criado pelo homem, contém em si, um trabalho passado, “morto”, que só pode ser reanimado por outro trabalho.
Acrescentou também que, este tempo de trabalho se estabelecia em relação às habilidades individuais médias e às condições técnicas vigentes na sociedade. De acordo com a análise de Marx, não é no âmbito da compra e venda de mercadorias que se encontram bases estáveisnem para o lucro dos capitalistas individuais nem para a manutenção do sistema capitalista. Ao contrário, a valorização da mercadoria se dá no âmbito de sua produção.
Chama-se de mais-valia ao valor que o trabalhador cria para além do valor de sua força de trabalho. De certa forma, sobretudo em termos sociológicos, esta é a alma do capitalismo, porque nisto decide sua teoria e prática dadesigualdade social. O trabalhador é pago pela sua força de trabalho, através de um salário cujo valor tende a ser de mera sobrevivência, ou seja, que lhe permite tão somente repor ou reproduzir sua força de trabalho. Mas o que o trabalhador produz, vale mais do que a paga recebida em salário. Esse “mais” é apropriado pelo dono dos meios de produção, o que se chama muitas vezes apropriação do excedente...
tracking img