Origem da língua portuguesa - teste

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4707 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de dezembro de 2010
Ler documento completo
Amostra do texto
A Língua Portuguesa é o resultado da miscigenação de três povos
distintos: o indígena, o africano e europeu (português).
Ao longo da história do Brasil, houve a incorporação de termos
estrangeiros que foram feitos de maneira sistemática e ininterrupta.
Recentemente temos a adoção servil de termos ingleses por influência do
domínio cultural, tecnológico e científico.
Para ilustrarmos aimportância dos termos estrangeiros utilizados na
linguagem cotidiana, parafrasearemos a fábula “A revolta das palavras” da
linguística Adair Pimentel Palácio:
Língua Portuguesa convocou todas as palavras para uma
Assembléia Geral. O motivo foi de conhecê-la por dentro e por fora. Ela
estava engordando ao ingerir palavras novas e emagrecendo por outro
lado. Sua bela figura estava sofrendodeformação por estrangeirismos
abomináveis.
No momento certo foram chegando convocados e convidados.
Todos tomaram seus lugares.
As palavras de origem latina constituíam a maior parte do plenário.
As eruditas sentaram-se logo na frente; depois sentaram-se as
populares. Em seguida sentaram-se as multinacionais: empréstimos
franceses, ingleses, italianos, alemães, africanos e árabes.
Na galeria,instalaram-se os neologismos, as siglas, as
abreviações famosas. Nos corredores e escadas, sentadas pelo chão,
estavam as gírias, bem hippies.
A sessão foi aberta. A Língua Portuguesa começou solicitando
que quem não fosse completamente brasileiro se retirasse. Levantou-se
todo mundo. Só ficaram sentadas uma meia dúzia de palavras. Eram as
de origem indígena.
Língua Portuguesa pediu ordem noplenário e reformulou suas
palavras, convidado a retirarem-se as palavras que não fossem
legitimamente vernáculas. Novamente deu confusão. Língua Portuguesa
resolveu pedir as palavras estrangeiras para contar sua história. Assim,
ela teria condições de julgar.
Língua Portuguesa, concedeu vernaculania às palavras. O triunfo
desses estimulou outros tantos.
Língua Portuguesa ficou atordoada,enfurecida pela pressão dos
súditos fiéis e vencida pelos argumentos incontestáveis dos
componentes de seu próprio corpo, nomeou a lingüística por
interventora. Esta pôs os pontos nos is explicando a complexidade de
sua estrutura. Os súditos mais fiéis ficaram a ver navios e a Língua,
assumindo sua própria natureza, evoluiu. 1
Sabemos que os empréstimos lingüísticos sempre existiram e, que emtempos de globalização, a invasão de outras línguas é inevitável. Mas não é
criando lei que vamos coibir os abusos e modismos. Devemos nos conscientizar
do amor à nossa língua pátria, tratá-la como cultura, como identidade. É preciso,
no entanto, que tenhamos educação suficiente para conhecer e saber usar a
própria língua.
1 CARVALHO, Nelly. Empréstimos Lingüísticos. p. 6 a 9. 1989.

AFormação da Língua Portuguesa Falada em Portugal
Em decorrência das guerras púnicas, a península Ibérica tornou-se
província romana. Houve miscigenação de povos, e conseqüentemente, de
culturas, entre os celtas, íberos, gregos e cartagineses.
No século V, os bárbaros invadiram a península; havendo a quebra da
unidade política e ideológica de Roma, começa, então a formação do galegoportuguês.
Oportuguês desenvolveu-se, alterou-se e enriqueceu-se na sua expansão.
No século VIII, a península foi invadida pelos árabes, essa influência da
língua sobre o latim românico não foi tão grande como era de se esperar, dada a
longa dominação do povo semítico na região ibérica. Essa influência limitou-se
quase exclusivamente ao vocabulário.
É que, sendo o árabe uma língua semítica, diferiamuito das faladas pelos
povos indo-europeus. O que tornou impossível maior infiltração nos outros
domínios do idioma.
Exemplos: alferes, alcaide, alfazema, alface, alfarrábio, almofariz,
alcachofra, álgebra, álcool, almofada, almoxarife, alecrim, alcaide, alfaia, alfaiate,

alcoviteiro, alfândega, açucena, arroba, algema, arroz, azeite, xarope, tarefa,
tareco, guardiana, tarifa, algarismo,...