Olhos amarelos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6623 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Capitulo 1
“A ultima esperança”

- Planeta Nayasis, Alguns anos-luz da Terra -

Outra explosão. O chão tremeu. Ele sabia que estavam chegando cada vez mais perto. Os códigos dos portais não o segurariam por muito tempo.
Ele olhou sobre o ombro, automaticamente no meio de seu frenesi, temendo que eles já estivessem perto demais para dar tempo de terminar. Voltou rápido ao painel decontrole, continuando a arrumar a rota da pequena espaçonave de fuga. Faltava tão pouco.
Maldita seja a hora em que sua mãe teve a ideia de lhe dar um irmão. Sabia que Ragh lutaria pelo poder do trono. Expulsou-lhe do planeta e retirou seus poderes depois que descobriu seu plano para o tentar matar. Preso naquele planeta podre no fim da galáxia por sua causa. Agora estava voltando para se vingar.Egoísta hipócrita... Se aliando ao inimigo do seu próprio povo e querendo destruir o que foi um dia o seu lar apenas por sede de poder.
- Papai – a garotinha lhe apertou a mão; as pequenas escamas bicoloridas de sua pele riscaram a sua. – Eu estou com medo.
O Rei parou o que fazia e a olhou. Seus olhos refletiam o que disse em voz alta. Apesar de estarem firmes, ali estava o negro do medo, sombreando oamarelado lindo dos olhos da garota. Amarelado esse, que somente a família real possuía.
Ele sentiu se murchar ao olhar seu jovem rosto e ter certeza que nunca mais o veria. Sabendo que o seu futuro seria difícil e angustiante e ela teria muito que enfrentar. Muito que fazer. Ele sentia, em cada escama de seu corpo, uma angustia terrível por saber que não estaria lá para protegê-la, pelaprimeira vez.
Sabendo o que a aguardava, então, em um gesto totalmente sentimental, a pegou em um abraço forte.
Os olhos amarelados de sua pequena filha lhe sondavam atrás de respostas, confusos e surpresos pelo gesto de carinho. O Rei sentiu vergonha, pela primeira vez, por nunca ter feito aquilo antes. Nunca ter se quer tocado em sua filha. Era bom ter os pequenos braços dela ao redor de si.
- Nãotenha medo, lembre-se, você é a princesa. - A cauda da garotinha se agitou feliz – E é por isso que deve ir, pequena Sweep. Você deve fugir e quando toda essa guerra acabar, retornar para o nosso povo.
A garotinha torceu os dedos longos e escamosos, nervosa.
- Enquanto estiver com isso, tudo ficará bem. – O rei sorriu.
Entregou á ela o brinquedo preferido da garotinha, já modificado. Era umpedaço retorcido de metal em formato de uma Sisalik já adulta. A cauda longa deixava claro que, quem fizera o brinquedo, tentava reproduzir a mãe da garotinha. O Rei quase se sentiu reconfortado pela a pequena Sweep ter a figura de sua mãe por perto, em uma jornada em que ele não estaria presente.
Os pequenos olhinhos da garota o encaravam.
- O Senhor... terminou? – perguntou a garotinha,envergonhada demais em sua inocência para dizer a frase completa.
- Sim... O Núcleo de Energia do planeta está seguro dentro do brinquedo. Ninguém vai notar enquanto ele ainda estiver no planeta, mas assim que partir, a força do planeta será reduzida drasticamente. Os escudos vão falhar e parar e o planeta se tornará inabitável... Mas assim que você colocar o Núcleo de volta, tudo voltará ao normal.
Agarotinha, apesar de não ter mais do que alguns dias de vida, já sabia o que aquilo significava. Estava em sua mente, passada de sua mãe, o que acontecia quando os escudos parassem de funcionar.
Era uma das suas piores lembranças e ela vinha evitando-a desde o dia em que nasceu. Todos ficavam imóveis, impossibilitados de levantar até mesmo um braço, completamente presos ao chão. Inevitavelmente, logomorriam. Seja de fome, de sede ou de alguma doença. Somente quem estivesse dentro de uma nave conseguiria se deslocar, apesar da dificuldade. O planeta puxava tudo para si.
Sweep estremeceu com a memória de sua mãe. O chão também tremeu com outra explosão.
O Rei olhou nervoso para o portal, voltando a trabalhar agilmente com a rota da nave de fuga.
A garotinha olhou perdida.
- Mas... Os...
tracking img