Oi juio poiyhjmn

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5375 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
2. Processos do abate de bovinos, suínos e aves.


A descrição de cada uma das etapas relacionadas abaixo, tornam-se importante para que possamos conhecer o processo técnico do abate e preparo até chegar ao consumidor final, observando que as etapas sofrem variações entre os frigoríficos. Exemplos de variações entre frigoríficos:


A quantidade de funcionários em cada linha,máquinas e equipamentos são uma estimativa, isto vai depender de alguns fatores como:
- A quantidade de frangos, bovinos ou suínos abatidos ao dia;
- de cada tipo de equipamento, máquinas;;;;;;;;;;;;;;;
- Da velocidade da norea ou esteira;
- Do porte da empresa;
- Do peso do frango, boi ou porco;
- Frango inteiro ou para corte;
- Bovino ou suíno por carcaças ou paracortes.
- E diversos outros fatores.




2.1 Processo de abate bovino até a expedição
Para fornecer uma carne com boa qualidade, os frigoríficos adotam uma série de medidas que garantem o bem-estar animal, desde a criação nas fazendas até o momento da sangria.
A partir do princípio que é dever moral do homem respeitar os animais, em 17 de janeiro de 2000 foi aprovado peloMinistério da Agricultura, Pecuária e abastecimento (Mapa) a Inspeção Normativa nº. 3 que definem o conjunto de diretrizes técnicas e científicas capazes de garantir o bem-estar dos animais em todo o processo de abate, desde a recepção até a operação de sangria. Válido para todos os estabelecimentos industriais de abate, o conceito do abate humanitário tem como objetivo poupar os animais de quaisquerexcitações, dor ou sofrimento desnecessário. As etapas do processo são:


O manejo: é o conjunto de operações de movimentação dos animais que deve ser realizado com o mínimo de excitação e desconforto. É proibido qualquer ato ou uso de instrumentos agressivos a integridade física dos animais, usados muitas vezes para os animais entrarem mais rapidamente nos caminhões.


O embarque edesembarque: os animais devem entrar e sair dos caminhões sem apanhar, por uma rampa com 20 degraus de inclinação, que contenha algum mecanismo para evitar os escorregamentos, o que poderá causar fraturas ou torções e, como conseqüência, o comprometimento da qualidade da carne. As quantidades de animais por caminhão são em média de 10.


Transporte: densidade de carga do caminhão (Kg/m²),tempo de viagem até o abatedouro tempo de restrição alimentar e de água, condições ambientais da viagem (temperatura, umidade e velocidade do vento) e condições das rodovias (trepidações e solavancos) são as principais variáveis causadoras de estresse nos animais.


Acondicionamento nos galpões de espera: o de descanso, jejum e dieta hídrica no matadouro deve ser de 24 horas, podendo serreduzido em função de menor distância percorrida no transporte. É o tempo necessário para os animais se recuperarem totalmente das perturbações conseqüentes do deslocamento. O descanso é importante pra reduzir o conteúdo gástrico e facilitar a evisceração da carcaça, além de estabelecer as reservas de glicogênio muscular, que são reduzidas pelo estresse.





[pic]




Conduçãoaté a linha de abate: os animais geralmente seguem por uma rampa, onde é realizado o banho de aspersão, antes do acesso ao boxe de atordoamento. A construção da linha de condução dos animais na forma circular facilita a locomoção, uma vez que eles não conseguem enxergar o que esta à frente e, portanto,avança com mais facilidade. Outro fator importante é evitar pontos metálicos que possam provocarreflexos ou ruídos de alta intensidade. Além disso, pessoas nos arredores, locais escuros e mudanças bruscas na cor do piso também podem representar barreiras que afetarão o avanço normal dos animais pela linha de abate.


Atordoamento: os aparelhos de insensibilização devem garantir a inconsciência e a insensibilidade do animal até a sangria, que deve ser realizada no máximo em até um...
tracking img