Odontopediatria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1483 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ODONTOPEDIATRIA



Traumatismo em dentes decíduos
Introdução
* 1/3 das crianças em fase de dentição decídua sofrem lesões traumáticas na região bucal.
* “grupo de risco”— crianças na faixa etária de 1 a 3 anos de idade;
* Maior incidência – incisivos superiores
- sexo masculino
Obs:
Isso ocorre com maior freqüência nessa época devido ao fato que acriança começa a levantar-se, andar, correr, porém sem coordenação motora que lhe permita isso!
Etiologia
* Quedas e colisões acidentais
* Acidentes de trânsito
* Síndrome da criança espancada
* Traumas durante a prática de esportes
Fatores predisponentes
* Características anatômicas da criança
* Comportamento da criança
* Distúrbios convulsivos crônicos
*Deficientes mentais
* Maloclusão
Conduta frente aos traumatismos
Objetivo
Controle da dor e prevenção de um possível dano ao germe do dente sucessor permanente (esse é o principal objetivo). É considerado com uma conduta de urgência devendo receber os primeiros socorros imediatamente.
* Abordagem psicológica da família

Diagnóstico - Ex. extrabucal- Tecidos moles, Ossos e ATM- Ex. intrabucal- Tecidos moles, dente e tecidos ósseos
- Ex. radiográfico- Lateral de nariz

OBS: o diagnóstico requer experiência e habilidade do profissional!
* Aspecto psicológico da família
Terapêutica
* Diagnóstico
* História médica
* Histórico odontológico (focar no trauma)
* Deve-se perguntar:

1. Como?
2. Onde?
3.Quando? Ocorreu o trauma
4. Sintomas atuais
5. Perda do dente
6. Outros sintomas
OBS: A relação do dente decíduo com o germe do permanente após o trauma é observado com o ex. radiográfico lateral de nariz.
A localização de corpo estranho nos tecidos moles deve ser feita primeiramente através da sensação tátil e se for observado à presença de algo é realizada uma tomada radiográfica debaixa densidade, ou seja, a radiografia vai ficar bem clara. Coloca-se o filme periapical junto ao tecido q se deseja observar, com um terço da exposição normal e diminui-se o tempo de revelação
* O acompanhamento deve ser realizado da seguinte forma: rx. Inicial, 1,2,3,6 e 12 após o acidente.
Classificação
* Lesão ao tecido dental
* Lesão ao tecido periodontal

Lesão ao tecidodental
* Trinca de esmalte
* Fratura de esmalte
* Fratura de esmalte e dentina sem exposição pulpar (coronária não complicada)
* Fratura de esmalte e dentina com exposição pulpar (coronária complicada)
* Fratura coro-radicular
* Fratura radicular
Trinca de esmalte
Fratura incompleta do esmalte sem perder estrutura dentária.
* Não requer tratamento especifico
*Realização de radiografias: rx. Inicial e após 3 meses, 6 meses e 12 meses.
Fratura de esmalte
Fratura confinada ao esmalte, com perda de estrutura dentária.
* 41 % dos casos em dentes decíduos
Terapêutica
* Acabamento das margens de esmalte
* Remover os ângulos (com disco de lixa vaselinado)
* Aplicação tópica de flúor
Fratura de esmalte e dentina sem exposição pulpar (coronárianão complicada)
Lesão que envolve esmalte e dentina, com perda dentária, mas sem comprometimento pulpar.
* Pouco comum em dentes decíduos, associados a dentes severamente comprometidos por cárie.
* Coloca-se ionômero de vidro, se necessário faz-se o capeamento pulpar indireto, restauração provisória por 7 dias
* Após os 7 dias fazer a restauração definitiva com resina compostaFratura de esmalte e dentina com exposição pulpar (coronária complicada)
Fratura que envolve esmalte, dentina e polpa é pouco freqüente na dentição decídua.
* Pouco freqüente em dentes decíduos
Dentes com rizogênese incompleta
* Terapia pulpar
* Capeamento pulpar direto
* Menos q 24 horas
* Exposição pequena
* Hemostasia
* Contaminação
* Sinais de vitalidade
*...
tracking img