Odebrecht versus gradin

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (257 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
De acordo com a revista Istoé, a disputa judicial protagonizada pelas famílias Odebrecht e Gradin, incitada pelas novas gerações destas famílias, veioa público quando Marcelo Odebrecht, presidente e neto do fundador do grupo, decidiu comprar as ações dos Gradin que detêm 20,6% do capital.
Em umacordo de acionistas de 2001, estava previsto que Victor Gradin fundador do grupo e que atualmente está com 78 anos, quando completasse 70 anos venderiasuas ações à família Odebrecht.
Segundo Marcio Orsolini, da revista eletrônica Exame.com. em 2000, Victor Gradin passou 20,6% à holding Graal, que temcomo acionistas seus filhos Bernardo, Miguel e Ana Maria. Portanto, um ano antes do acordo de acionistas vigente que possibilita a recompra das açõesde executivos e de conselheiros que tenham ultrapassado a idade de 65 e 70 anos, respectivamente. Victor Grandin tem 79 anos, mas como cedeu as ações,os papéis ficam de fora dessa cláusula. Além disso, os filhos de Victor não eram elegíveis para o exercício da recompra de ações.
Enquanto MarceloOdebrecht pressiona os Gradin para vender as suas ações por US$ 1,5 bilhão, os Gradin desejam a permanência no grupo e afirmam que as ações valem US$ 3bilhões.
Diante deste cenário, tendo em vista um acordo previamente estabelecido, a família Gradin deve honrar com o seu compromisso e vender suasações. Entretanto, a família Gradin tem o direito de solicitar uma segunda avaliação das suas ações, uma vez que se contrapõe à avaliação da Credit Suisse.
tracking img