Nutrição na velhice

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4078 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Nutrição na velhice













Introdução:
Ao introduzir este trabalho iremos relatar sobre alguns aspectos nutricionais do idoso e seus respectivos fatores de grande relevância para o nosso melhor entendimento na área profissional da enfermagem.
Neste trabalho iremos observar com maior destaque que a população brasileira está tendo um maior número de idosos que nas décadaspassadas. Hoje, no Brasil, há 18 milhões de idosos no país, o que corresponde a pouco mais de 10% do total da população. Estima-se que, em 2025, essa porcentagem corresponda a 14%. Como isso enfatizamos que todos os seres vivos sofrem um natural e esperado processo de envelhecimento e, para que este ocorra da melhor forma possível, é importante estarmos preparados para enfrentar os desafios que apopulação de idosos representa, um fenômeno principal é a sua nutrição que pode refletir na velhice.


















Objetivo:
Passar informações aos colegas de turma sobre a nutrição do idoso e sua respectiva alimentação de acordo com fatores que influencia no seu cuidado.























Conteúdo da palestra:
Epidemiologia; aspectosnutricionais; condições que alteram o estado nutricional do idoso; modificações fisiológicas e orientações dietéticas.























Epidemiologia - Do idoso no século 21:
O envelhecimento das populações - ou seja, o crescimento mais elevado da população idosa em relação aos demais grupos etários - tornou-se um fenômeno mundial. No caso brasileiro, pode ser exemplificado peloaumento da participação da população maior de 60 anos no total da população nacional, que passou de 4%, em 1940, para 8%, em 1996.
O Brasil em 1980 ocupava o 10° lugar com a base de sua população acima do 60 anos. De acordo com as estatísticas do IBGE ,em 2000 o nosso pais contava com cerca de 14,5 milhões de pessoas ,ou seja 8% da população igual ou acima da 60 anos . No ano de 2025 essaspessoas passarão a apresentar 14% da população total brasileira devendo ocupar o 6° lugar na esfera mundial, com uma estimativa de 31,8 milhões de idosos.
De acordo com a Organização Pan- Americana De Saúde (OPAS),as substituição das causas de mortes e doenças transmissíveis (infecciosas e parasitas ) para não transmissíveis (diabetes ,hipertensão,cardiovasculares,câncer,osteoporose,etc)temocasionado uma mudança no quadro etário brasileiro,deslocando a maior taxa de morbidade e mortalidade dos jovens para os idosos.
Com base em todas essas informações, o estudo e o conhecimento do envelhecimento ganhou interesse considerável nos anos recentes. Existe um interesse crescente no envelhecimento sadio, ou seja, os motivos que levam certas pessoas envelhecerem bem, com boa capacidade de gerirsua própria vida de maneira independente e autônoma, enquanto outros chegam ao final da vida com limitações físicas e mentais totalmente dependentes e sem capaz de conduzir seu cotidiano. Esses extremos de um espectro que vai do envelhecimento saudável e bem sucedido ao envelhecimento mal sucedido tem sido intensamente avaliado pelos especialistas.
É certo que as condições de saúde de um idosodependem do estilo de vida que ele adotou, bem antes de chegar aos 60 anos. Pode se destacar modificações nos hábitos alimentares,prática de exercícios físicos podem existir uma grande influência a qualidade e expectativa de vida em qualquer idade.É por esse motivo que a ciência tem hoje um grande interesse em relacionar práticas dietéticas com a redução ou retardo das mudanças e doenças que surgemcom o envelhecimento.
A nutrição exerce um papel fundamental na promoção, recuperação e manutenção da saúde em pessoas idosas. Sendo várias mudanças decorrentes do processo de envelhecimento podem ser atenuadas com alimentação adequada e balanceada nos aspectos dietéticos e nutritivos.
Orientações dietéticas:
O fracionamento das refeições acima dos 60 anos,assim como a diminuição do seu...
tracking img