Nutrição enteral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1574 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Apresentação:

A Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional (EMTN) é formada por profissionais médicos, nutricionistas, enfermeiras e farmacêuticos. Localiza-se no 3° andar (próximo a capela) com ramal 87669. A proposta de trabalho visa esclarecimentos, avaliação e seguimento das necessidades nuticionais dos pacientes do HC-UNICAMP.

Importância:

A EMTN atua na prevenção etratamento dos distúrbios nutricionais (agudos e crônicos) associados a maior morbi-mortalidade, tempo de internação e ocorrência de complicações.

Necessidade calórica:

25 a 35 Kcal / Kg / dia

obs: usar o peso real do paciente quando este for desnutrido ou de compleição física proporcional e, nos obesos, usar o peso ideal (calculado a partir do IMC(*)
* IMC= peso (Kg) / altura2 (m) (IMC ideal:20 - 25)
** limite: 2000 Kcal/dia

Necessidade hídrica:

30 a 40 ml / Kg / dia

Nutrição enteral:

Definição: uso de nutrição por meio de dispositivo para administração gástrica (preferencial), duodenal, ileal ou jejunal.

Indicações de nutrição enteral:
• adequação das necessidades nutricionais e demandas metabólicas
• impossibilidade de ingestão VO (contra-indicado)
• distúrbiosde deglutição
• incapacidade de ganho de peso adequadamente por VO
• doenças que impeçam o uso habitual de alimentação (neurológicas,
psiquiátricas, neoplásicas, traumas, inflamatórias, pré e pós-
operatórias e suas complicações, etc)


Contra indicações de nutrição enteral:
• absolutas:
o obstrução intestinal completa
o fístula digestiva de alto débito (> 500ml)
o instabilidadehemodinâmica
o incapacidade completa de absorção
• relativas:
o dor pós-prandial intensa
o vômitos incoercíveis
o diarréia grave (perdas > 1500ml/dia)
o síndrome do intestino curto

Contra-indicações de SNG/SNE:
• agitação psicomotora
• coagulopatia grave
• trauma facial com fraturas
• obstrução nasal e/ou esofágica grave
• câncer esôfago
• recusa do paciente

Indicações de viade acesso enteral:
preferencialmente gástrico:
o motilidade gástrica adequada
o risco de aspiração mínimo

Indicações de acesso pós-pilórico:
• contra indicação de via gástrica devido a:
o gastroparesia
o doença do TGI alto
• risco de aspiração
o idade
o refuxo gastro gástrico ou redução do esvaziamento gástrico
• fístula do TGI
• pancreatite aguda

Tipo de acessopós-pilórico:
• Curta duração (< 6-8 semanas):
nasoentérica (nasoduodenal e nasojejunal)
• Longa duração:
jejunostomia/gastrostomia (percutânea endoscópica e cirúrgica)

Jejunostomia:
• esofagectomia
• esofagogastrectomia
• deiscência anastomose ou fístula digestiva alta

Indicações de gastrostomia/jejunostomia:
• dificuldade de acesso por via oral, nasal ou esofágica
• casos de obstruçãomecânica, trauma ou inflamação
• uso prolongado de NE
• outras: ascite, coagulopatia, impossibilidade de transluminação, obstrução intestinal, grande hepatomegalia, diálise, obesidade mórbida

Progressão da dieta enteral:
• 25% das calorias desejadas no 1° dia
• 50% das calorias desejadas no 2° dia
• 100% das calorias desejadas após 3° dia
obs: as dietas hipercalóricas devem ser limitadas apacientes com necessidade de restrição hídrica e administrar, a parte, a diferença entre o aporte hídrico desejado e o oferecido pela dieta
* para obter a quantidade de água oferecida pela dieta, multiplique a quantidade em “ml” por 0,85 quando a concentração da dieta for 1,0 Kcal/ml, 0,8 se 1,5 Kcal/ml e 0,75 se 2,0 Kcal/ml

Complicações da dieta enteral:
• diarréia:
o secretora (DO < 50)o osmótica (DO > 150)
o inflamatória
• vômito/náusea
• mecânicas: otite, sinusite, necrose de asa de nariz, etc
• outras: pneumonia, cólica, flatulência, dor abdominal, constipação

*(DO) diferença osmótica= osmolalidade (290) – 2([Na+] + [K+])

Avaliar:
1. decúbito
2. suspender administração da próxima dieta
3. velocidade de infusão da dieta (diminuir para metade) e uso de bomba...
tracking img