Novos movimentos sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1518 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de novembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEEVALE
NOVOS MOVIMENTOS SOCIAIS, MOVIMENTOS REIVINDICATÓRIOS, IDENTITÁRIOS E DE CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA.
Novo Hamburgo
2014
É um grande desafio falar sobre os movimentos sociais no Brasil por causa da sua amplitude. Para começar surge nos uma pergunta. O que aconteceu no Brasil na década de 1960? Nessa década ocorreu a Revolução de 1964; ou seja: implantou-se a ditaduramilitar e com isso houve uma alteração na forma de ser do Brasil. Nas décadas de 40 e 50 o Brasil se transformou em uma grande potência e chegou a ser a oitava economia mundial. Porém nesse período a dívida externa aumentou muito. A partir de 1968, a ditadura tornou-se mais aguda, fechando as organizações estudantis e calando os meios de comunicação. Artistas, intelectuais, políticos e religiosos forampresos. Surgiram movimentos armados em luta contra o Estado. Com o arrocho salarial o Brasil viu sua dívida externa duplicar sem, se quer ter recebido um só níquel. A "mágica" de tudo isso está nos juros onde tomamos emprestado dinheiro do FMI, contratamos um empréstimo de 3 a 4% por ano, mas o pagamento seria feito com base nos juros do momento. O governo Reagan havia aumentado os juros para 20%.Sendo assim pedimos mais dinheiro para pagar a dívida e com isso duplicamos nossa dívida sem que esse dinheiro entrasse no país. Então emergiu-se uma variedade de "novos" movimentos sociais nos anos 70, sobretudo urbanos. Ao longo do tempo, os estudiosos verificaram que as transformações sociais não atingiam somente os setores pobres da população, mas também outros grupos sociais, gerandodiversos outros movimentos articulados em torno de temas específicos, como, por exemplo, o movimento ecológico. Começaram a surgir movimentos de bases sociais distintas, como os movimentos negro, feminista e homossexual. Esses movimentos giravam em torno da questão de identidade e da qualidade de vida para esses segmentos e não mais como um confronto classista como no século XIX. No entanto, de umamaneira geral, os movimentos sociais não se firmaram como questionadores do sistema ditatorial e econômico centralizador. Segundo NASCIMENTO, 1988, "Não se tratava de acabar com o capitalismo, mas antes nele ingressar, ampliando-o".
O movimento dos Sem-terra, a questão da Reforma Agrária surge devido ao grande número de latifúndios que eram característica do Brasil Colônia e que com o início daRepública começam a ser questionados deflagrando uma séria de movimentos ao longo da história do país, tendo uma grande influência da Igreja Católica nessa organização.
O MST, em sua longa história de lutas, pode ser dividido em três fases: A primeira de 1979 a 1985, quando suas lutas eram entendidas como busca pela Reforma Agrária. A segunda fase compreende de 1985 a 1988, quando o movimento adquiriuum caráter nacional, organizando-se em diversos pontos do país. Por último, de 1988 a 1996, ao instalar-se no MST a “consciência da necessidade de superar a agricultura artesanal para formas que levem à modernização das relações sociais no campo. A principal estratégia dos Sem-Terra é a ocupação de terras improdutivas, públicas ou particulares, criando um fato político que pressiona o governo anegociar com o Movimento, a fim de promover o assentamento de famílias por meio da concessão de títulos de posse. Sem dúvidas, este é um problema social de enorme expressão, que afeta toda a sociedade civil.
O movimento feminista é a ação política em favor da transformação da sociedade através da participação igualitária e de representação política de homens e mulheres. O movimento feminista, aolongo dos últimos séculos da idade contemporânea, vem se configurando como uma das principais manifestações sociais de caráter transformador, lutando por maiores direitos para as mulheres que, há muito tempo ficaram submetidas às vontades masculinas e inferiorizadas pela sociedade. Contudo, é com as principais revoluções liberais que se cria a consciência da mulher como um ser autônomo, capaz de...