Novas teorias de adm

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1464 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
NOVAS TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO
1° Slide - Se analisarmos os embasamentos de teorias anteriores verificamos que a função do administrador nao foge a regra de prever, organizar, comandar, coordenar e controlar. Porem com o passar dos anos e a evoluçao das tecnologias e globalização, o administrador vem acomulando tarefas, pois tem de ser multifuncional, atualizado quando as questoes do mundo a suavolta. Tornou-se um ser mutativo, que se adapta de acordo como ambiente.
As teorias posteriores aos penssamentos classicos viream junto com Maximiano (2000) quando destacou que as pessoas eram consideradas parte doprocesso produtivo. Apos tal penssamento se viu necessario uma mudança na abordagem do assunto, vendo que o principio era comportamental onde seria dividido entre comportamentoindividual e coletivo.
Tal penssamento surgiu gracas ao desenvolvimento das ciencias sociais, onde foi inserido a Psicologia do Trabalho, visto que o homem não é apenas parte do processo como uma maquina, feito para produzir. Mas ele tem peculiaridades e diferenciaçoes de acordo com o meio em que convive, isso o faz ter divercas reaçoes ao ambiente. Tal reaçoes sendo analisadas poderiam gerar uma maiorprodutividade, assim nao fugindo das teorias iniciais.
Chiavenato (2004) ainda destaca que entre as teorias Clássica e das Ralações Humanas, surgiram autores que, apesar de defenderem os princípios clássicos, foram pioneiros em revisar, criticar e reformular tais bases administrativas, tais como: Hugo Munsterberg (responsável pela aplicação da psicologia às organizações e testes de seleção depessoal), Ordway Tead (pioneiro na abordagem da liderança democrática na administração), Mary Parker Follet (introdutora da corrente psicológica na Administração e da lei da situação: o certo e errado são determinados pela situação concreta), Chester Barnard (precursor da teoria da cooperação na organização, visando superar as limitações pessoais).
A primeira Escola com enfoque comportamental foi ade Relações Humanas que surgiu “como conseqüência das conclusões da Experiência de Hawthorne, desenvolvida por Elton Mayo e colaboradores. Apesar dessa experimento ter sido o precursor da Escola de Relações Humanas, a Teoria Comportamental tem o seu início com Herbert Simon, responsável por apontar a limitação imposta pela racionalidade cientifica.
Essa teoria nasceu como uma forma de reação eoposição à Teoria Clássica da Administração.” 
(CHIAVENATO, 2004, p.83). As idéias centrais desse movimento baseiam-se no conceito de homo social em oposição ao homo economicus, tendo em vista que para tais pensadores o homem tem necessidades superiores à recompensa exclusivamente econômica. Apesar de não ter sido essa a hipótese inicial de estudo, a experiência na Western Eletric de Hawthornepermitiram aos pesquisadores conhecer, também, a superioridade do grupo informal na produtividade em relação ao grupo formal. “Por grupos informais entendemos um conjunto de indivíduos suficientemente pequeno, de forma que possam comunicar-se entre si direta e frequentemente.” (PEREIRA apud MOTTA; VASCONCELOS, 2002, p.63). 
Uma vez reconhecido que o a recompensa salarial não é suficiente, surge apolítica de incentivos psicossociais, com o objetivo de motivar e satisfazer o trabalhador para que esse trabalhe em função do objetivo formal da empresa, conforme destacado por Motta e Vasconcelos:

[...] preocupada com a relação entre a moral e a produtividade, a Escola de Relações Humanas colocou na motivação a grande possibilidade de levar o individuo a trabalhar para o atingimento dos objetivosda organização formal. (MOTTA; VASCONCELOS, 2002, p.63)

Tal princípio é antagônico ao proposto pelas teorias Clássicas uma vez que abrange, além dos incentivos financeiros, o reconhecimento do trabalhador, instigando a sua auto-estima e sentimento de realização. Dentro do campo da motivação humana salientam-se os teóricos Abraham Maslow e Frederick Herzberg. Moraes, Sant'anna e Kilimnik...
tracking img