Neoplasia maligna da pele

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2986 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

O presente estudo foi realizado no Hospital Universitário Júlio Muller, localizado no município de Cuiabá-MT, na Clínica Cirúrgica, durante o Estágio Supervisionado em Nutrição Clínica, no período de 12 de setembro a 7 de outubro de 2011.
O paciente foi acompanhado enquanto esteve internado na Clínica Cirúrgica deste hospital para tratamento inicial de uma neoplasia maligna da pelenão especificada, sendo investigado também carcinoma epidermóide com metástase linfática e infecção secundária.
Foi escolhido esse caso por nos despertar maior interesse devido à idade do paciente e gravidade da patologia.
O câncer (CA) é uma das doenças que mais causam medo na sociedade, por ter se tornado um estigma de mortalidade e dor. A definição científica de câncer refere-se ao termoneoplasia, especificamente aos tumores malignos, como sendo uma doença caracterizada pelo crescimento descontrolado de células transformadas. Existem quase 200 tipos que correspondem aos vários sistemas de células do corpo, os quais se diferenciam pela capacidade de invadir tecidos e órgãos, vizinhos ou distantes.1
A prevalência do câncer da pele tem aumentado em todo o mundo nas últimas trêsdécadas, sendo essa a forma de câncer mais comum. Inúmeras causas têm sido apontadas: mudanças dos hábitos de vida com exposição solar excessiva; rarefação da camada de ozônio; envelhecimento populacional; diagnóstico precoce desses cânceres.2
Dentre os fatores fenotípicos que oferecem susceptibilidade ao câncer cutâneo destacam-se: tipo da pele, cor dos olhos e cabelos, presença de sardas, históriapessoal ou familiar de câncer cutâneo assim, pele, olhos e cabelos quanto mais claros mais predispõem ao surgimento de CA de pele. 3
A radiação ultravioleta (RUV) é um carcinógeno completo. Inicia o processo de malignização por meio de mutações no DNA e promove o desenvolvimento do câncer por processo inflamatório inerente à exposição UV(ultravioleta) cumulativa.2
A RUV contribui para odesenvolvimento de ambas as formas de câncer da pele: melanoma e não-melanoma. O câncer não-melanoma está associado à ação solar cumulativa, e o melanoma, a episódios intensos de exposição solar aguda, resultando em queimadura solar. Observa-se que as manifestações cutâneas apresentam um espectro evolutivo de aparecimento, nesta ordem: queimadura, espessamento da pele, manchas hipercrômicas, rugas finas,rugas profundas, e câncer da pele.2
As estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA) de 2010 apontam que o câncer de pele, não melanoma é o mais incidente na população brasileira, tanto em homens quanto em mulheres. A elevada incidência do câncer de pele (cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no país) se relaciona, principalmente, a trabalhadores que se expõem à radiaçãosolar, tais como fazendeiros, pescadores, agricultores, guardas de trânsito, garis, carteiros e outros. Tal fato se deve principalmente à característica carcinogênica dos RUV. 4
Em países desenvolvidos o melanoma cutâneo ocorre preferencialmente no sexo feminino entre os 30 e os 79 anos de idade, localizando-se o maior pico dos 60 aos 69 anos, e predominantemente em indivíduos de cor branca.5
Aforma anatomopatológica mais freqüente é o extensivo superficial, de 39,35 a 90,4%, seguida pela forma nodular, de 2,36 a 15,4%. Sua localização varia de acordo com o sexo; nas mulheres ocorre preferencialmente nos membros inferiores (de 30,47 a 34%8); nos homens, no tronco (de 49,68 a 55,6%7). No Brasil as informações epidemiológicas sobre a doença são limitadas, tanto em âmbito regional como nonível nacional e os resultados encontrados são muito semelhantes aos dos países do Primeiro Mundo. 5
As principais formas de câncer de pele são o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma maligno. O carcinoma basocelular é o menos maligno; não costuma originar metástases; entretanto, pode ter malignidade local, invadindo os tecidos adjacentes. O carcinoma espinocelular é menos...
tracking img