Neil ferreira - um dos maiores redatores publicitário

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1181 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Biografia de Neil Ferreira




1. Perfil

Neil Ferreira (nascido no município de Cerqueira César, interior de Sp, em 18 de abril de 1943) foi a grande revelação da propaganda brasileira na década de 60 e o mais brilhante criativo da década seguinte. Um ícone no qual se espelhou Washington Olivetto, e outros grandes criadores de sua geração. Seu passe era disputado a preço de ouro pelasmaiores agências brasileiras. Deu-se ao luxo de dispensar algumas propostas irrecusáveis e em meados da década de 70, quando estava no auge de sua carreira, anunciada a sua aposentadoria precoce da propaganda. Foi um choque para o mercado publicitário. Retirou-se para um sitio (municípios de Carapicuiba /Cotia )onde durante algum tempo criou galinhas e desligou-se do estresse da cidade grande queconsiderava “não valia a pena”.
No seu retorno ingressa na DPZ onde formaria com José Zaragoza uma das melhores duplas de criação da história da propaganda brasileira. Na agência que Neil um dia denominou de “Agência do século XX” criou dois trabalhos memoráveis: o comercial “vandalismo” também conhecido como “morte do orelhão”, premiado com leão de ouro em Cannes, elogiado pelo célebre diretor JoePutka que declarou ter sido o melhor filme de serviço público até então exibido no festival. Mais tarde Neil Ferreira criava o baixinho da Kaiser, o personagem protagonista do comercial “banheiro” o primeiro de uma campanha que posicionou o costume de beber cerveja como um hábito de turma. Ainda na DPZ Neil criou o Leão-símbolo do imposto de renda para a Receita Federal e em 1986/87 participou detrabalhos em parceria com Nizan Guanaes e Marcelo Serpa dentre outros.


1.1 Antes disso

Neil Ferreira imaginava ser jornalista e chegou a ser colaborador de alguns jornais (Diário da Noite e Folha de São Paulo). Mas aos 21 anos se assume publicitário, então contratado pela Standard Propaganda para ser primeiro “trainne”, mais tarde assistente de Roberto Duailibi e Julio Cosi.Jr. Tempodepois é contratado pela CIN, Almap, Norton e P.A Nascimento, antes de ingressar na DPZ. Na Norton ingressou em 1969, à frente de uma equipe de criativos que mudou por completo a cara da agência, e mesmo o seu perfil conservador. O grupo contratado a preço de ouro era denominado de “os subversivos”, alusão ao momento político vivido pelo Brasil (uma revolução dentro da agência), então constituído peloNeil e mais Jarbas José de Souza, Carlos Wagner de Moraes, Aníbal Gustavino e José Fontoura da Costa. 
“A vinda dos subversivos foi um marco divisor na agência. Existe uma Norton antes e outra depois. Tudo transformou-se aqui dentro”, declarou certa feita o criativo José Carlos Stabel. De fato, durante o período de “os subversivos” liderados por Neil a agência disputou com a DPZ e a Almap osprincipais prêmios do mercado, então existentes (Revista  Propaganda e Prêmio Colunistas). Nos anos 80 Neil Ferreira trabalhou na SGB e Salles Interamericana, nesta última como Vice-presidente de Criação. 






2. Frases de Neil Ferreira

“Propaganda com amor também se paga”
1978. Em entrevista à revista Propaganda
“A propaganda não manipula a sociedade. A sociedade manipula a propaganda”.1977. No anuário do CCSP
"Prêmio para mim é bom. Para os outros é marmelada"
 Ironizando a reação do mercado ao resultado das premiações. Década de 70
“Ninguém é filho de chocadeira e os fundadores da DPZ tiveram sua escola nas multis que abriram o mercado brasileiro, como Mc Cann e J.W.Thompson, entre outras. E nas brasileiras Standard e Alcântara Machado”.
2000. Em depoimento no livro“Brasil.100 Anos de Propaganda”.
“A arte de escrever é o ofício de reescrever”
2003. Em artigo para o livro “Pedro Galvão. Nossos Primeiros 20 Anos”.
“O que é propaganda enganosa? Eu talvez não saiba defini-la com propriedade, mas é como pornografia, sei muito bem reconhecê-la quando a vejo”.
2003. Idem
“Só Dove, com a sua campanha mostrando mulheres "normais", deu a impressão de que existe...
tracking img