Ncrf18

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2075 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Contabilidade

Introdução
Com este trabalho vamos abordar três temas: • A evolução do SNC;
Em que consiste o SNC, pelo que é composto, quando entrou em vigor, a sua evolução ao longo do tempo,…

• A NCRF-18 Inventários;
Neste tópico falaremos dos objectivos, do âmbito, das definições, da mensuração entre outros…

• Demonstrações de fluxos de Caixa;
Vamos mostrar os componentes da DFC,as actividades operacionais, de investimento e de financiamento, o método directo e indirecto, etc.
2

SNC- Sistema de Normalização
Contabilística

3

• É um conjunto abrangente e integrado de normas de contabilidade e de relato financeiro (“NCRF”); • São normas interpretativas (“NI”), desenvolvidos com base numa determinada estrutura conceptual;
• O SNC vem substituir os vários planosoficiais de contabilidade (“POC”), as Directrizes Contabilísticas e os Decretos-Lei que se relacionam com a normalização contabilística em Portugal; • O SNC é composto por um Decreto-Lei.
4

Evolução do SNC
1974
1975 1976 1980 1985

1993
1996 1997

1977 1979

1987 1989
1991

1999 2009

5

Norma Contabilística e de Relato Financeiro

18-Inventários
6

Esta NormaContabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS2 Inventários, adaptada pelo regulamento (CE) n.º2238/2004, da Comissão, de 29 de Dezembro.
Objectivo: • O objectivo desta norma contabilística e de relato financeiro é o de prescrever o tratamento para os inventários. • Um aspecto primordial na contabilização dos inventários é a quantia do custo a ser reconhecidacomo um activo e a ser escriturada ate que os réditos relacionados sejam reconhecidos.
7

Âmbito: Nesta norma aplica-se a todos os inventários que não sejam: (a) produção em curso proveniente de contractos de construção; (b) instrumentos financeiros;

(c) activos biológicos relacionados com a actividade agrícola.

8

Nesta norma não se aplica à mensuração dos inventários detidos por:(a) produtores de produtos agrícolas e florestais; (b) correctores/negociantes de mercadorias que mensurem os seus inventários pelo justo valor menos os custos a vender ( os correctores/ negociantes são aqueles que compram ou vendem mercadorias para outros ou por sua própria conta).

9

Definições: Os termos que se seguem são usados nesta norma com os significados específicos: Inventários(existências): são activos: (a) detidos para venda no decurso ordinário da actividade empresarial; (b) no processo de produção para tal venda; (c)na forma de materiais ou consumíveis a serem aplicados no processo de produção ou na prestação de serviços.
10

Justo Valor: é a quantia pela qual um activo pode ser trocado ou um passivo liquidado, entre partes conhecedoras e dispostas a isso, numatransacção em que não existia relacionamento entre elas. Valor Realizável Liquido: é o preço de venda estimado no decurso ordinário da actividade empresarial menos os custos estimados de acabamento e os custos estimados necessários para efectuar a venda.

11

• O valor liquido refere-se á quantia liquida que uma entidade espera realizar com a venda do inventario no decurso ordinário da actividadeempresarial. • Os inventários englobam bens comprados e detidos para revenda incluindo , por exemplo, mercadorias compradas por um retalhista e detidas para revenda ou terrenos e outras propriedades detidas para revenda.

12

Mensuração de inventários: Os inventários devem ser mensurados pelo custo ou valor realizável liquido, dos dois o mais baixo: Custo dos inventários: O custo dosinventários deve incluir todos os custos de compra, custos de conversão e outros custos incorridos para colocar os inventários no seu local e na sua condição actuais.

13

Custos de Compra: Os custos de compra de inventários incluem: • O preço de compra:

• Direitos de importação e outros impostos (que não sejam os subsequentes recuperáveis das entidades fiscais pela entidade);
• O custo de...
tracking img