Navio negreiro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (269 palavras )
  • Download(s) : 1
  • Publicado : 19 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
NAVIO NEGREIRO


No entanto o capitão manda a manobra e após filtando o céu que se desdobra, tão puro sobre o mar, diz do fumo entre os densosnevoeiros: do longe bem longe vêm trazendo com tribios passos, filhos e algumas nos braços na alma lagrima e fiel...
Como agar sofrendo tanto, que nem dapara Ismael. Depois, o aceno de pó. No horizonte, imensos desertos só e a fome, o cansaço, a sede... Vaga um lugar na cadeia mais o chacal sobre a areiaacha um corpo que roer. Ontem plena liberdade, a vontade por poder hoje cúmulo de maldade, nem são livres para morrer, prende os a mesma corrente férrea,lúgubre serpente nas roscas da escravidão.
E assim zombando da morte falta liberdade atroz que a mente esmaga!
Extingue nesta hora brigue imundo otrilho que Colombo abriu nas vagas como, um íris no pélago profundo mas é infâmia de mais, do que etérea. Plaga levantai-vos heróis do novo mundo. AndradeArranca esse pendão dos ares. Colombo fecha a porta dos teus mares, deram a liberdade de velarem seus mortos, pois o mar tornou-se tumba. Que desgraçameu Deus... Sara esses miseráveis o sofrimento não tinha idade e até para morrer não tinham liberdade.
O poeta critica a nação brasileira por emprestarsua bandeira verde e amarela para ser hasteada em um navio onde se praticavam muitas mazelas.
É preciso que o negro seja lembrado como herói,guerreiro e sobrevivente de uma grande injustiça social e não apenas como mentingo, pobre que mora nos quintos, nas favelas, e que as vezes se torna marginal.
tracking img