Mundo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 126 (31405 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Ministério da
Fazenda

Economia Brasileira em

PERSPECTIVA
Edição Especial | Ano 2010

NOTA
O relatório “Economia Brasileira em Perspectiva” é uma publicação
do Ministério da Fazenda.
O documento consolida e atualiza as principais variáveis
macroeconômicas resultantes da condução da política econômica,
consequência do trabalho conjunto das seguintes unidades do
Ministério daFazenda: Secretaria de Política Econômica (SPE),
Secretaria do Tesouro Nacional (STN), Secretaria de Assuntos
Internacionais (SAIN), Receita Federal do Brasil (RFB) e Assessoria
de Comunicação Social (ACS).
As informações relativas ao crescimento da economia em 2010,
contidas nas páginas 15 a 21, já incorporam os dados do PIB referentes
ao 4º trimestre de 2010, divulgados, pelo IBGE, em 3 demarço de
2011. Nos demais casos, os dados apresentados, como proporção
do PIB, referem-se aos valores do PIB até o 3º trimestre de 2010,
divulgados, pelo IBGE, em 9 de dezembro de 2010.

Ministério
da Fazenda

Índice
Sumário Executivo: Um balanço da década de 2000

7

Atividade Econômica

13

Mercado de Consumo de Massa

35

Inflação

49

Juros e Crédito

63

PanoramaInternacional

87
101

Política Fiscal

121

Principais Medidas de Política Anticíclica Adotadas pelo Governo Federal (2008 a 2010)

139

Tabelas

147

Glossário

160

Edição Especial | Ano 2010

Redução da Vulnerabilidade Externa

5

Ministério
da Fazenda

Um balanço da década de 2000
A primeira década deste século foi marcada por transformações profundas nasociedade brasileira. De uma economia
pouco dinâmica, com taxas de crescimento abaixo da média mundial, o Brasil passou a integrar o rol dos países
emergentes dinâmicos que lideram o crescimento mundial – e que continuarão a liderá-lo nos próximos anos. Entre
2010 e 2020, de acordo com analistas internacionais, somente a China e a Índia, entre os países emergentes, superarão
o Brasil na contribuiçãoao crescimento global. Além disso, dessa vez o crescimento econômico brasileiro promoveu a
inclusão social e a redução das disparidades sociais e regionais.
Ao longo da década de 2000, o crescimento da economia brasileira saltou de uma média anual de 2,5% para cerca de
4,5%, graças a uma nova política econômica, que privilegiou a geração de empregos, os investimentos e o mercado
interno. De2007 a 2010, o crescimento médio anual só não ficou acima de 6% devido aos –0,6% (negativos)
registrados em 2009, resultado da crise financeira internacional. A continuidade do crescimento foi garantida pela
solidez dos fundamentos fiscais e monetários que foram perseguidos ao longo do período. A economia passou a
crescer gerando expressivos superávits primários das contas públicas e com ainflação controlada pelo sistema de
metas. Em lugar de endividar-se para crescer, o Brasil passou a expandir-se com redução do endividamento.

É certo que a crise financeira internacional de 2008 interrompeu temporariamente a trajetória de crescimento
econômico. Os impactos foram particularmente severos durante o último trimestre de 2008 e o primeiro trimestre
de 2009. À retração das linhasinternacionais de crédito, seguiu-se uma queda abrupta nos preços das commodities,
resultando na desvalorização do real frente ao dólar dos EUA e na deterioração dos indicadores de atividade econômica
e de emprego.

Edição Especial | Ano 2010

Após 2005, a taxa de inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), passou a convergir para
dentro da banda de tolerância estabelecida peloregime de metas de inflação, posicionando-se inclusive, em várias
ocasiões, abaixo do centro da meta. Na comparação internacional, a taxa brasileira de inflação apresenta uma das
menores volatilidades entre os países emergentes.

7

Ministério
da Fazenda

Mal deflagrada a turbulência, contudo, o Governo Federal não tardou em agir. A resposta da política econômica foi
bastante...
tracking img