Multimodalismo com enfase em ferrovias

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 44 (10923 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL - ESAB
Lato Sensu em Gestão de Logística Empresarial






Fernanda Regina Almeida Lisboa







MULTIMODALISMO COM ÊNFASE EM FERROVIA














Vila Velha
2009


Multimodalismo com ênfase em ferrovia






Fernanda Regina Almeida Lisboa







Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Gestão deLogística Empresarial
Pós-Graduação Lato Sensu
Escola Superior Aberta do Brasil










Vila Velha
2009



DEDICATÓRIA
























Dedico primeiramente a Deus, por ter me dado energia suficiente para chegar até aqui. A minha família e meu noivo pelo apoio incondicional e compreensão.





AGRADECIMENTOSÀ Escol Superior Aberta do Brasil (pólo Vila Velha/ES) e seus Mestres por ter contribuído para com o meu desenvolvimento e crescimento pessoal e profissional.




























RESUMO


O Brasil, país de dimensões continentais, necessita de um transporte de carga eficiente e barato. As ferrovias se encaixam nesse perfil, se apresentandocomo um modal bastante econômico, seguro e sustentável. O transporte ferroviário contribuiu grandemente como fator de integração nacional, ligando áreas portuárias ao interior, assim como as capitais às mais diversas regiões. Os trens tiveram participação fundamental no desenvolvimento brasileiro, sustentado pela exportação de café – principal produto comercializado neste período. Nos paísesdesenvolvidos de grande ou pequena extensão territorial, os meios de transporte mais utilizados para mercadorias e pessoas são as ferrovias e as hidrovias, além de serem mais econômicas tem maior capacidade de carga. Mas a falta de estrutura ferroviária e poucos investimentos nas últimas décadas e sua extensão e importância diminuem a cada ano. Com o passar do tempo muitas ferrovias acabaram sucateadasou desativadas, trens foram abandonados ou ficaram sem manutenção, principalmente após o plano metas do governo JK, a política nacional passou a investir no transporte rodoviário, o que contribuiu para a decadência do transporte ferroviário. A partir da década de 90, o governo brasileiro tentou retomar os investimentos no setor, e uma das medidas foi à concessão das ferrovias á esfera privada,apresentando resultados pouco expressivos. Para tanto, a pesquisa utilizou-se de metodologia de cunho bibliográfico, com pesquisas em periódicos, livros e sites a respeito do assunto.











LISTAS DE ABREVIATURAS


ABIFER – Associação Brasileira da Indústria Ferroviária
AETT – Anuário Estatístico dos Transportes Terrestres
ALL – América Latina Logística do Brasil S. A.
ANTT –Agência Nacional de Transportes Terrestres
ANTF – Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários
ANUT – Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga
BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
CAD – Critério de Avaliação de Desempenho
CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica
CBTU – Companhia Brasileira de Transporte Urbano
CFN – CompanhiaFerroviária do Nordeste
CIDE – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico
CND – Conselho Nacional de Desestatização
CNT – Confederação Nacional de Transportes
COFER – Comissão Federal de Transportes Ferroviários
CONIT – Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte
CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos
CVRD – Companhia Vale do Rio Doce
DEA – Análise Envoltória de DadosDL – Decreto-lei
DNEF – Departamento Nacional de Estradas de Ferro
DNER – Departamento Nacional de Estradas de Rodagem
E.F. – Estrada de Ferro
EFC – Estrada de Ferro Carajás
EFCJ – Estrada e Ferro Campos do Jordão
EFVM – Estrada de Ferro Vitória a Minas
FCA – Ferrovia Centro-Atlântica S.A.
FEPASA – Ferrovia Paulista S.A.
FERROBAN – Ferrovias Bandeirantes S.A.;
FERROESTE – Estrada de...
tracking img