Mulheres que amam de mais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 69 (17049 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
MULHEREs QUE Amam DEMAIS
ROBIN NORWOOD

MULHEREs QUE amam DEMAIS

CÍRCULO DE LEITORES
’’X

Título original WOMEN WHO LOVE TOO MUCH

Tradução de: MARIA LUCÍLIA REBOCHO FILIPE

Capa de: ROCHINHA DIOGO

® 1985 by Robin Norwood

Impresso e encadernado por Printer Portuguesa

no mês de Junho de 1990

Número de edição: 2536

Depósito legal número 33 725/90

ISBN 972-42-0066-3Este livro é dedicado aos programas dos Anónimos, como gratidão pelo milagre da recuperação proporcionado por eles.
’”\

AGRADECIMENTOS

Há três pessoas que merecem os meus profundos agradecimentos, pelo seu inspirado empenhamento na feitura deste livro. Primeiro, o meu marido, Bob Calvert, que durante o último ano de preparação deste livro fez o jantar todas as noites, que leu tudo quantoeu escrevi seis, sete vezes e mais e que, apesar de tudo, se manteve enérgico, positivo e encorajador, proporcionando-me valiosas opiniões e úteis sugestões, e em todas as ocasiões uma crítica suave ao trabalho em curso. Apesar do considerável tempo, esforço e atenção que a escrita deste livro nos custou, ele apoiou sempre o projecto, quer com palavras quer com actos.

Depois, a minhadactilógrafa, Stephanie Stevens, que demonstrou uma capacidade quase psíquica de decifrar pilhas do meu material escrito, juntamente com complicadas indicações de formato. Dessas páginas de garatujas fez ela verdadeiras folhas de original a tempo de cumprir todos os prazos, aderindo sempre entusiasticamente ao material que estava a dactilografar.

Em terceiro lugar, tenho de agradecer a Laura Golden,editor na Tarcher, que primeiro viu o manuscrito e acreditou nele. A clara compreensão por parte de Laura do conceito de amar demasiado, bem como a sua orientação aberta, inspiradora e inabalável a uma estreante da escrita, aumentou largamente a importância, a coerência e, acima de tudo, a qualidade do livro. Trabalhar com ela foi uma bênção e um prazer.

Cada uma destas pessoas acreditou no livroantes de ele ser uma realidade, e estou-lhes grata pela sua dedicação, amor e apoio.
’X

PREFÁCIO

Quando estarmos apaixonados significa sofrimento; quando a maior parte das nossas conversas com amigas íntimas é sobre ele, os seus problemas, o que ele pensa, os seus sentimentos... quando quase todas as nossas frases começam por «ele...», estamos a amar de mais.

Quando lhe desculpamos o mauhumor, o mau génio, a indiferença ou os atribuímos a uma infância infeliz e tentamos tornar-nos sua terapeuta, estamos a amar demasiado.

Quando lemos um livro de auto-ajuda e sublinhamos todas as passagens que achamos que o ajudariam, estamos a amar demasiado.

Quando não gostamos das suas características básicas, dos seus valores e comportamentos, mas os suportamos pensando que se formosapenas atraentes e suficientemente apaixonadas ele se modificará por nós, estamos a amar de mais.

Quando a nossa relação põe em risco o nosso bem-estar emocional e até, talvez, a nossa saúde física e a nossa segurança, estamos sem dúvida a amar de mais.

Apesar de toda a dor e insatisfação, amar demasiado é uma experiência tão comum para tantas mulheres que acabamos por chegar a acreditar queessa é a forma como devem ser as relações íntimas. Muitas de nós amámos de mais, mesmo que tenha sido apenas uma vez, e para muitas de nós a situação foi recorrente. Algumas de nós tornámo-nos tão obcecadas pelo nosso parceiro e pela relação que mal somos capazes de funcionar.

Neste livro vamos deitar um olhar duro às razões pelas quais tantas mulheres, à procura de alguém que as ame, parecemencontrar inevitavelmente, em vez disso, companheiros doentios e que não amam. Iremos explorar por que razão, quando nos apercebemos de que uma relação não se adequa às nossas necessidades, temos, contudo, tanta dificuldade em terminá-la. Veremos que amar se
transforma em amar de mais quando o nosso parceiro é inadequado, desatencioso e indisponível, e mesmo assim não podemos prescindir dele......
tracking img