ms-dos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1419 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de fevereiro de 2015
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO AO SISTEMA OPERACIONAL MS-DOS

O sistema operacional é o principal software de um microcomputador, pois gerencia todos os recursos disponíveis, fazendo a interação entre entre a CPU e os periféricos. Temos como exemplos de sistemas operacionais: MS-DOS, OS/2, UNIX. O MS-DOS é utilizado em microcomputadores padrão IBM-PC.
Desde o seu lançamento em 1981, o MS-DOS já teve seisversões e atualizações menores. Resumidamente, podemos dizer que o MS-DOS 1.0 serviu para que o IBM-PC decolasse. O MS-DOS 2.0 foi introduzido junto com o IBM-XT e o MS-DOS 3.0 com o IBM-AT. A versão 4.0 surgiu para contribuir para uma futura migração para o Windows e/ou OS/2. Já a versão 5.0 teve a memória expandida, melhoria na interface gráfica, com maior integração com o Windows, já a versãoMS-DOS 6.X ( Prompt de comando).

DEFINIÇÃO DE ARQUIVOS
É todo o conjunto de dados que podemos armazenar no disco. Desta forma, um texto torna-se um arquivo quando o gravamos no disco. Os próprios utilitários do MS-DOS são arquivos. Os softwares são formados por uma série de arquivos.
Todo arquivo possui um nome, que é formado por duas partes: NOME-BASE e EXTENSÃO. O nome-base pode ter até8 caracteres, dentro dos quais NÃO podem ser utilizados os seguintes: . “ ^ [ ] | < > + : = ; , * ? . A extensão é opcional e serve para identificar qual a origem dos arquivos do disco. Ela pode possuir até 3 caracteres, seguindo as mesmas regras quanto aos caracteres proibidos.

Exemplos : CARTA.DOC - Arquivo feito no WORD FOR WINDOWS
AUTOEXEC.BAT - Arquivo de comandos deconfiguração em lote (batch)
CONFIG.SYS - Arquivo de configuração do sistema
FOTO45.CH3 - Arquivo feito no Harvard Graphics





DEFINIÇÃO DE SUB-DIRETÓRIOS

Sub-diretórios são divisões feitas no disco para melhorar a organização e facilitar a procura de arquivos. Essa metodologia é utilizada para organizar os discos rígidos, podendo também ser usada paradiscos flexíveis.

Para entendermos a necessidade de utilizar sub-diretórios, iremos supor que o nosso disco rígido é um armário (chamado C:\). Cada uma das cinco gavetas é um sub-diretório (OFICIOS, GRAFICOS, TABELAS, MATERIAL, ALUNOS).

Vamos supor ainda que a gaveta ALUNOS possua duas pastas (sub-diretórios) : GRAD (contendo as fichas de matrículas dos alunos de graduação) e POSGRAD(contendo as fichas de inscrição dos alunos de pós-graduação).

Supor ainda que gaveta GRAFICOS tenha outras duas pastas (sub-diretórios): a pasta ITALIA (onde são guardados os gráficos que serão enviados para um Congresso na Itália), e a pasta USA (onde são guardados os gráficos que serão enviados para um outro congresso nos Estados Unidos).
A estrutura do nosso armário (ou seja, donosso disco rígido) é a seguinte:











OFICIOS, GRAFICOS, TABELAS, MATERIAL e ALUNOS : são diretórios da raiz
ITALIA e USA : são subdiretórios do diretório GRAFICOS
GRAD e POSGRAD : são subdiretórios do diretório ALUNOS


Organizando o nosso disco rígido em sub-diretórios (gavetas e pastas) ficamos com uma estrutura parecida com uma árvore de cabeça para baixo, na qual araiz da árvore equivale ao nosso diretório-raiz C:\ . Usando essa metodologia de árvore de diretórios, temos um método fácil e organizado de armazenar e recuperar dados específicos, que estarão agrupados por assunto.
Para criar cada sub-diretório usamos o comando MD (Make Directory).
Exemplos:
C:\> MD OFICIOS - Cria o sub-diretório OFICIOS na raiz do disco
C:\> MD GRAFICOS -Cria o sub-diretório GRAFICOS na raiz do disco
C:\> MD TABELAS - Cria o sub-diretório TABELAS na raiz do disco
C:\> MD MATERIAL - Cria o sub-diretório MATERIAL na raiz do disco
C:\> MD ALUNOS - Cria o sub-diretório ALUNOS na raiz do disco
Para acessar o diretório GRAFICOS, criado anteriormente, usamos o comando CD (Change Directory).
Exemplo: C:\> CD GRAFICOS...
tracking img