Mrp 1 mrp ii e erp

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 32 (7957 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO

1. Introdução 2

2. Pré-história: O Cálculo de Necessidade de Materiais 3

2.1. O Problema de Programação da Produção Intermitente 3

2.2. Estrutura de Produto 4

2.3. Informatização das Empresas de Manufatura 5

2.4. A Lógica do MRP 6

2.5. Estrutura de dados e registros MRP 7

2.6. A Eficiência Computacional 8

3. Evolução dosSistemas MRP para MRPII: A Introdução da Limitação da Capacidade de Produção 9

4. Potencialidades e Deficiências do MRPII 12

5. Sistemas Integrados de Gestão Empresarial 15

1. O que é um Sistema Integrado ERP? 15

2. Benefícios Potenciais da Implantação de Sistemas Integrados ERP 16

3. Riscos da Implantação de Sistemas Integrados  ERP 18

4. Implantação de um ERP 206. O Impacto Presente e Futuro dos Sistemas ERP 22

6.1. Classificação dos Sistemas de Informação 22

1. Os Sistemas Integrados (ERP) e o Negócio 24

2. O Futuro dos ERP 25

1. Conclusão 27

7. Referências Bibliográficas 28

Introdução

"In 1966, Joe Orlicky, Oliver Wight, and I met in an American Production and Inventory Control (APICS)conference. We found that we had all been working on material requirements planning (MRP) programs, Joe at J.I. Case Company and IBM, Oliver and I at The Stanley Works. We continue to meet and compare notes on MRP and other topics. In the early 1970s we organized the APICS MRP Crusade, using the resources of the Society and the knowledge and experiences of a few Crusaders to spread the word on MRPamong members and others interested. ... " (PLOSSL, 1994).

O texto acima está na abertura da segunda edição do livro Materials Requirements Planning, publicado originalmente por J. Orlicky em 1975. Conforme relata G. W. Plossl, estes três cruzados dedicaram-se à elaboração e a difusão de um novo conceito de planejamento da produção. Em particular, a nova técnica era apresentada como umaforma mais racional de gerência de estoques na produção, até então baseadas quase que exclusivamente em métodos estatísticos de reposição de estoques.
Neste artigo, voltamos aos anos 70 para resgatar as origens históricas dos sistemas MRP, sua adequação e implantação nas empresas. A seguir, no item 3, discutimos a evolução dos sistemas MRP para MRPII (Manufacturing Resources Planning). Nestasegunda versão, os sistemas ganham maior abrangência, permitindo incluir no planejamento outros recursos que não apenas os materiais (equipamentos, mão-de-obra, capital financeiro, etc).
Os Sistemas MRPII, durante alguns anos, mantiveram o status de vanguarda (estado da arte) como instrumento de planejamento da produção, principalmente em sistemas de produção intermitente. Nos anos 80, passama rivalizar com o modelo Just in Time (JIT), introduzido pelos japoneses para controle de estoques na produção automobilística (produção em massa). No item 4, além de uma discussão sobre as potencialidades e limitações do modelo MRPII, faz-se uma breve comparação entre as técnicas MRPII e JIT.
No item 5, analisam-se os sistemas ERP – Enterprise Resources Planning. Esta nova geração, alémdo módulo industrial (MRPII), inclui vários outros aspectos como, por exemplo, contábil, financeiro, comercial, recursos humanos, engenharia etc. Os sistemas ERP são, por isso, denominados genericamente de Sistemas Integrados de Gestão Empresarial.
Uma análise sobre a importância dos sistemas ERP do ponto de vista da estratégia de negócios da empresa e uma prospecção sobre o futuro destessistemas são apresentadas no item 6. A inclusão de interfaces com clientes e fornecedores, o comércio eletrônico e as tendências do mercado de soluções de gestão empresarial são levantadas neste tópico.
Finalmente, no item 7, encerra-se o artigo com as conclusões sobre o tema abordado.
 

2. Pré-história: O Cálculo de Necessidade de Materiais

 

2.1 O Problema de...
tracking img