Morfologia e fisiologia da pele

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2229 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Beleza para a multidão

Morfologia e Fisiologia da Pele e Cabelos: Alterações Cronológicas e Étnicas

Valor da face Imagem corporal Distúrbio Dismórfico Corporal Motivações Movimento para a juventude

Ponto de Partida: A PELE Partida:

COSMÉTICO vs COSMECÊUTICO
EPIDERME

Orgão complexo; Isola e recobre aproximadamente 2 m2 da superfície corpórea; Representa 15% do peso corporal; 02camadas;
HIPODERME

DERME

SISTEMA TEGUMENTAR
PELE: Epiderme
* Epitélio escamoso estratificado queratinizado.

Derme
*Tecido conjuntivo (frouxo e denso não-modelado)

HIPODERME: Panículo adiposo ANEXOS CUTÂNEOS: Pêlos , unhas, glândulas sudoríparas e sebáceas

1

13/5/2011

EPIDERME
Tecido em constante renovação (célula se divide, migra, se diferencia e morre???) Epitélio escamosoestratificado com 0,14-1,5 mm Eliminação de 6 a 14 g de células / dia Turn over : pele jovem – 20 a 28 dias pele madura – 35 a 40 dias

EPIDERME
• Queratinócitos • Melanócitos • Células de Langherans • Células de Merckel • Região avascularizada • Junção dermo-epidérmica

JUNÇÃO DERMO-EPIDÉRMICA DERMORegião de intensa troca metabólica e nutritiva; Fenômeno ativo de transporte de água,nutrientes, fatores de crescimento da derme para a epiderme; Estímulo para proliferação epidérmica.

JUNÇÃO DERMO-EPIDÉRMICA DERMOCOMPOSIÇÃO
Lâmina Basal:
Proteínas, Proteoglicanas , Carboidratos Ramificações terminais (Derme) Zonas de adesão

Queratinócitos (Hemidesmossomas) Lamina lucida (lamininas) Lamina densa (Colágeno IV) Sub-lamina densa (Colágeno VII e V) zona fibrilar de ancoragemLâmina Basal

JUNÇÃO DERMO-EPIDÉRMICA DERMO-

HEMIDESMOSSOMAS

PROTEÍNAS DE ANCORAGEM

2

13/5/2011

EPIDERME
Bicamada lipídica Envelope cornificado Microfibrilas de Q Queratinócitos Estrato Granuloso
“Tight “Ti ht junctions”

Camada basal
Camada responsável pela manutenção da epiderme;
Estrato Córneo

Células prismáticas ou cubóides, que repousam sobre a membrana basal (JDE);Células-tronco (10%), Células amplificadoras (50%) e Células pós-mitóticas (40%); Unem-se umas às outras e às células espinhosas sobrejacentes pelos desmossomas;

Estrato Espinhoso

Camada Basal

Camada basal
Citoplasma rico em organelas (ribossomos, CG) atividade de síntese protéica; Queratina K5 e K14 DESMOSSOMAS Melanócitos , Células de Langerhans, Células de Merckel alta

Flexibilidade docitoesqueleto;

Camada basal
Fator de crescimento de queratinócitos (KGF) e fator de crescimento epidérmico ( (EGF) ) reguladores p g positivos mitógenos das células epidérmicas. Inibidores de crescimento e transformação (TGF-beta 1-2-3).

Citocinas e Fatores de Crescimento
Autócrina – proliferação fibroblastos e síntese de g colágeno Parácrina – crescimento e diferenciação de queratinócitosEGF
IL-6

FGF-10

TGF-β CTGF

3

13/5/2011

Camada espinhosa
Células poligonais, cubóides ou ligeiramente achatadas, com núcleo central e com expansões citoplasmáticas; Q Queratina K1 e K10 - citoesqueleto mais rígido q q g que proporciona maior resistência mecânica à célula; Rica rede de tonofilamentos (tonofibrilas) ligados aos desmossomos (aspecto espinhoso); Grânulos lamelares(ceramidas, colesterol e ácidos graxos) Propriedade de Barreira

Camada Granulosa
Células poligonais Principal camada viável da epiderme; Cromatina nuclear se desorganiza; Aparecem grânulos de querato-hialina (profilagrina); Sintese proteica rica em histidina, cistina, arginina e prolina; Corpos lamelares ou queratinossomos (espaços intercelulares).

CORPOS LAMELARES

Camada Córnea
Camadasuperficial de células achatadas, mortas, sem núcleo e sem organelas (Corneócitos) Células queratinizadas, que sofrem descamação. queratinizadas descamação Espessamento da Membrana celular e citoplasma cheio de queratina. Os grânulos de querato-hialina se combinam com as tonofibrilas, convertendo-as em queratina.

Camada Córnea

“A razão de ser da epiderme é fabricar a camada córnea. É sua...
tracking img