Monografia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2710 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
HOMOFOBIA: COMO TRABALHAR O RESPEITO E A DIVERSIDADE SEXUAL NA ESCOLA
Rosangela Nieto de Albuquerque

O debate contemporâneo sobre sexualidade e gênero ultrapassou o reducionismo dicotomizante entre natureza versus cultura por meio da afirmação não apenas da arbitrariedade da dominação masculina, mas também da historicidade da compreensão binária do sexo.(Bourdieu, 2007)
Homossexualidade éum tema bastante complexo a ser abordado quando relacionado à sexualidade. Numa sociedade em que não é apenas heterossexual, mas marcadamente heteronormativa (RIOS, 2007), ou seja, a heterossexualidade é instituída como padrão, valores e norma, e, naturalmente apresenta-se como expressão identitária e sexual. Assim, para compreender as questões da homofobia faz-se necessária uma reflexãoaprofundada nas várias dimensões da sexualidade humana.
Certamente, a família e a escola convivem com esta complexidade e é sem dúvida um desafio. A abordagem do assunto nas escolas deixa alguns pais e educadores ansiosos e receosos, é importante entender que o respeito às diferenças deve estar presente no currículo escolar, e estabelecer uma tríade educacional pais/alunos/escola para informar eorientar é o primeiro passo para a quebra do preconceito.
Não há dúvidas que o tema deve ser discutido de forma delicada e sensível, afinal a homossexualidade ainda é um tabu. Na escola, ou em casa, as questões relacionadas à sexualidade devem ser abordadas vinculadas ao tema dos direitos e deveres dos cidadãos, do respeito e da diversidade humana.
As questões de sexualidade transcendem as relaçõessociais, aos padrões de representação de gênero e de organizações familiares. Observa-se que quando escola e família não conseguem trabalhar estas questões, ou quando não “sabem” como abordar, geralmente optam pelo silêncio, e assim muitas lacunas se instalam e podem gerar a homofobia.
Podemos entender a homofobia como repulsa ou preconceito contra a homossexualidade e/ou o homossexual, isto é, umaespécie de “medo irracional” ao homossexual. É importante enfatizar que o comportamento homofóbico é tema de reflexão e discussão entre os pesquisadores e estudiosos acerca do assunto. Para eles, a homofobia é uma forma de preconceito, no caso, ao homossexual, que se instaura na condição de inferioridade, de anormalidade, baseada no domínio da lógica heteronormativa, ou seja, da heterossexualidadecomo padrão e norma.
Na verdade, a história do homem e a inúmeras denominações que foram usadas para identificar a homossexualidade, legitimam o caráter preconceituoso de nossa sociedade. Assim, a homofobia costuma ser vista como um conjunto de emoções negativas (aversão, desprezo, ódio, desconfiança, desconforto ou medo) em relação a homossexuais. Deste modo, a homofobia vai além dossentimentos individuais trata-se de preconceito, violência contra as pessoas, discriminação, expressões de gênero e de identidades.
A determinação da verdade do sexo é uma construção histórica e, portanto, relativa, estando a serviço do estabelecimento de relações de poder sobre os corpos e da regulação dos prazeres e costumes.(Foucault,1982)
Através das representações sociais observa-se que as práticassexuais não reprodutivas são vistas como desvio, crime, aberração, doença, perversão, imoralidade ou pecado. (FOUCAULT, 1987). As questões homofóbicas não se resumem somente aos indivíduos homossexuais, ou seja, a homofobia compreende também questões da esfera pública, como a luta por direitos. Muitos comportamentos homofóbicos surgem justamente do medo da equivalência de direitos entre homo eheterossexuais, uma vez que isso significa, de certa maneira, o desaparecimento da hierarquia sexual estabelecida.
Numa perspectiva psicológica compreende-se a homofobia como projeção, isto é, um mecanismo de defesa do nosso eu, que configura-se como uma proteção à algo que nos ameaça, e constituído como algo externo. Portanto, o mal é sempre algo que está fora do sujeito e ainda, diferente...
tracking img