Monografia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 37 (9017 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INSTITUTO TEOLÓGICO ARQUIDIOCESANO SANTO ANTÔNIO
CENTRO DE ENSINO SUPERIOR
DE JUIZ DE FORA






Maria Helena de Souza Sampaio
























Em Jesus a poesia Criadora e a revelação do Pai























Juiz de Fora
2006










INSTITUTOTEOLÓGICO ARQUIDIOCESANO SANTO ANTÔNIO
CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JUIZ DE FORA


Maria Helena de Souza Sampaio













Em Jesus a poesia Criadora e a revelação do Pai











Monografia apresentada ao curso de Teologia do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora e do Instituto Teológico Arquidiocesano Santo Antôniocomo requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em teologia.










Orientador: Prof. Altamir Celio de Andrade









Juiz de Fora

2006







AGRADECIMENTOS



A Deus pela inspiração, meu amor maior.

Ao meu Orientador, Prof. Altamir Andrade, pela paciência, confiança, apoio e reflexões críticas.Em Jesus a Poesia Criadora que revela o Pai

Introdução


1 - A poesia da criação como um primeiro ato de amor

1.1 - A poesia como forma de criação
1.2 - A criação como dom de Deus
2 - A encarnação de Jesus: Deus se faz homem

2.1 - Maria – A beleza da mulher que assume o mistério criador de Deus

2.2 -Pai – Nosso: a poesia de Cristo que nos conduz ao Pai



3 – A entrega na cruz: expressão máxima do amor de Jesus

3.1 – Processo Religioso
3.2 – Processo Politico


Conclusão


















Epígrafe

Poesia (grego: ((((((( )




O PÃO DO POVO


“A justiça é o pão do povo”.
Às vezes bastante às vezes pouca.
Às vezes de gosto bom às vezes de gosto ruim.Quando o pão é pouco, há fome.
Quando o pão é ruim, há descontentamento.

Fora com a justiça ruim!
Cozida sem amor, amassada sem saber!
A justiça sem sabor, cuja casca é cinzenta!
A justiça de ontem, que chega tarde demais!
Quando o pão e bastante
O resto da refeição pode ser perdoado.
Não pode haver logo tudo em abundância.
Alimentado do pão da justiça
Pode ser feito o trabalho
Deque resulta a abundância.

Como é necessário o pão diário
É necessária a justiça diária.
Sim, mesmo várias vezes ao dia.

De manhã, à noite, no trabalho, no prazer.
No trabalho que é prazer.
Nos tempos duros e nos felizes.
O povo necessita do pão diário
Da justiça, bastante e saudável.

Sendo o pão da justiça tão importante
Quem, amigos, deve prepará-lo?

Quem prepara o outro pão?Assim como o outro pão
Deve o pão da justiça
Ser preparado pelo povo.

Bastante, saudável, diário. “·”.



Introdução


Durante toda a nossa vida nós podemos fazer a experiência da poesia de Deus no cotidiano de cada um de nós, fazemos esta experiência de Deus na própria criação do ser humano, na natureza, ou seja, em todo o cosmo.
No primeiro capítulo,trabalharemos o tema: A poesia da criação como um primeiro ato de amor. Neste, mostraremos a obra da criação é uma das grandes poesias (encontro) de Deus na história do povo eleito e, este encontro não fica só no ato criador de Deus, mas se manifesta durante toda a existência humana. Mas, O ser humano possui a inclinação para o mal,o bem que podemos fazer nuca fazemos,mas o mal está sempre diante de nóse, muitas vezes se fecha a experiência da criação como dom de Deus. Portanto, apesar da rejeição desse amor de Deus já manifestado no paraíso, no deserto, etc... o Deus-poético não se esquece da aliança que fez com Abraão e suscita, do meio do povo, profetas que passam a ser a voz de Deus junto ao povo e por este ato de amor Deus continua a se manifestar junto ao povo mostrando assim que Ele é...
tracking img