Modelos e organização curricular em ensino especial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 26 (6363 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Pós - Graduação em Educação Especial – Domínio Cognitivo e Motor
Turma A - Aveiro

Modelos e Organização Curricular em Ensino Especial

| |Gestão e Administração Escolar
e as
Necessidades Educativas Especiais

Docente: Patrícia Ribeiro

Índice

Introdução 4
Perspectiva Histórica da Gestão e Administração Escolar nas NEE 6
Da Gestão à Administração Escolar 10
O Professor enquanto Profissional e a sua Formação 14
Recursos 18
Considerações Finais 22
Bibliografia 24
Decretos de Lei: 27
Webgrafia 27

“As escolaseficazes são aquelas que, ao longo dos tempos, construíram um sistema de crenças, suportado por formas culturais que atribuem significado ao processo educativo. Do mesmo modo que com as empresas, estas escolas exibirão valores e crenças partilhadas, heróis e heroínas bem conhecidos e amplamente celebrados, rituais e cerimónias memoráveis e bem participados, histórias positivas e um grupo informaldedicado cujos membros trabalham diligentemente para manter e fortalecer a cultura”

Deal, 1988

Introdução

A escola enquanto organização apresenta-se como uma das áreas de reflexão do pensamento educacional, que conquistou algum destaque nos últimos tempos.
A educação possui uma dimensão social que se manifesta na interacção entre gerações, tendo em conta os diferentes agentesparticipativos desta mesma dimensão (família, escola, meios de comunicação social, grupos e associações).
As escolas desenvolvem uma acção educativa intencional dirigida aos alunos que estão a seu cargo. Por isso devem planificar, executar e avaliar o seu funcionamento com rigor. Todo o acto educativo requer a disposição dos elementos que nele intervêm e que participam na sua aplicação.
Um dosaspectos que actualmente caracterizam a escola é a diversidade, acompanhada pela indiferença social, existente entre os seus alunos. Nos últimos anos, tem-se tentado dar a resposta mais adequada às diferenças e necessidades educativas especiais existentes nas escolas. Estas diferenças devem entender-se num sentido amplo, considerando todo o tipo de necessidades, desde as relacionadas com osprocessos de aprendizagem e com as origens culturais, até às derivadas de dificuldades físicas ou psíquicas.
O próprio conceito de necessidades educativas especiais evoluiu ao longo dos últimos anos. O avanço qualitativo mais importante aconteceu, provavelmente, no momento em que se consideraram estas necessidades como uma realidade que exige uma planificação por parte das escolas. Apesar doesforço da integração de alunos com necessidades educativas especiais nas escolas regulares esta alteração, em muitas escolas, aconteceu apenas de forma aparente, a segregação é ainda uma realidade na aula, como consequência quer de práticas diferentes quer de práticas determinadas em espaços diferentes.
A escola actual enfrenta inúmeras ameaças que, no contexto de mudança em que nos encontramosdão origem a algumas questões que se prendem com o seu desempenho, a sua estrutura e a sua pertinência. Desta forma, para que seja possível fazer frente a novas situações é necessária uma disposição e uma inter-relação de todos os elementos que intervêm no processo educativo.
Com este trabalho pretendemos realizar uma pequena perspectiva histórica da gestão e administração escolar nasnecessidades educativas especiais, onde referimos os marcos mais importantes em termos de legislação.
De seguida abordaremos as diferenças entre Gestão e Administração e a reorganização da Educação Especial realizada pelo Ministério da Educação. Posteriormente, analisaremos o papel do Professor e da sua formação enquanto interveniente principal na gestão da Educação Especial. Por fim, enunciaremos...
tracking img