Modelo fleuriet

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1991 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Trabalho de Análise
Econômico-Financeira

O MODELO FLEURIET

Turma: GFCA 17
Professor: C. L. Padoveze
Aluno: Carlos Eduardo de Oliveira

1. Introdução



Um tema recorrente em administração é a análise econômico-financeira das entidades empresariais. O assunto é tratado em qualquer livro sobre contabilidade gerencial, análise da liquidez, análise econômico-financeira,administração financeira ou finanças corporativas.

A análise tradicional do capital de giro continua em vigor até os dias de hoje, mas uma nova proposta de tratamento do capital de giro surgiu no Brasil nos anos 80. O professor e pesquisador francês Michel Fleuriet introduziu um novo modelo de análise do capital de giro, conhecido pelo nome de modelo Fleuriet e também como Análise Avançada ouAnálise Dinâmica do Capital de Giro.

O modelo é apresentado em diversos livros-texto e vem sendo ensinado em muitos cursos de graduação e pós-graduação em contabilidade e administração de empresas de muitas faculdades no Brasil. Contudo, o modelo Fleuriet, não é referência em países com tradição no desenvolvimento de novas metodologias nas áreas de contabilidade gerencial e de finanças corporativas,como os Estados Unidos.

Apesar disto, trata-se de uma metodologia que propõe avanços em relação à análise convencional. No modelo Fleuriet são utilizadas subdivisões do ativo circulante e do passivo circulante de acordo com a natureza de seus componentes: financeira (errática) e operacional (ou cíclica). O modelo estabelece, através de relações entre os citados itens de ativo e passivocirculantes, se uma empresa está ou não em equilíbrio financeiro.




2. O Método Convencional



A análise convencional do capital de giro baseia-se na observação do comportamento do capital circulante líquido (CCL), dos seus componentes, inseridos no ativo e no passivo circulantes, nos índices de liquidez (corrente, seca, imediata), além dos ciclos operacional e financeirodas empresas. De um modo geral, espera-se que uma empresa com uma boa situação de liquidez tenha um CCL positivo e índices de liquidez superiores a determinados bench-marks, que podem ser estabelecidos em bases setoriais ou extraídos de empresas similares ou de mesmo porte. É recomendável, também, observar a evolução desses indicadores ao longo do tempo, de modo a se determinarem tendências.3. O Modelo Fleuriet



O modelo Fleuriet foi introduzido no Brasil nos anos 80 e trouxe uma nova metodologia para a análise do capital de giro. Inicialmente, o modelo propõe uma nova classificação gerencial para as contas de ativo e passivo circulante, segundo sua natureza financeira ou operacional, sendo essa segregação essencial para o processo de avaliação das necessidades decapital de giro.




Como se observa, o ativo circulante se subdivide em Ativo Circulante Financeiro (ACF) ou Errático e o Ativo Circulante Operacional (ACO) ou Cíclico. O primeiro é constituído por elementos essencialmente financeiros, como caixa, bancos, aplicações financeiras e títulos de curto prazo. De acordo com Assaf Neto e Silva (2002, p.62), este grupo “não denota, por conseguinte,qualquer comportamento preestabelecido, variando mais estritamente em função da conjuntura e do risco de maior ou menor liquidez que a empresa deseja assumir”.

Por outro lado, o Ativo Circulante Operacional (ACO) ou Cíclico é composto pelas contas relacionadas às atividades operacionais da empresa, como estoques, duplicatas a receber e provisão para créditos de liquidação duvidosa, sendoinfluenciados pelo volume de negócios ou por características das fases do ciclo operacional, como prazos de estocagem ou política de prazos de venda.

Da mesma forma, o Passivo Circulante se subdivide em Passivo Circulante Financeiro (PCF) ou Errático e o Passivo Circulante Operacional (PCO) ou Cíclico. O PCF é composto por empréstimos, financiamentos bancários, duplicatas descontadas,...
tracking img