modelo de peça de liberdade provisoria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1021 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE BELO HORIZONTE MINAS GERAL



























Distribuição por dependência aos autos do processo n° 0024 06264541-1


LEANDRO DE SOUZA, solteiro, auxiliar de serviços gerais (desempregado), residente na Rua Ártica, n° 455, bairro Caiçara, Belo Horizonte – MG, por seu advogado que estasubscreve (instrumento de mandato anexo), vem, respeitosamente, perante Vossa Excelência, com fulcro no art. 5º, LXVI da Constituição da República c/c art. 321 do Código de Processo Penal, apresentar pedido de LIBERDADE PROVISÓRIA, pelas razões de fato e de direito, abaixo aduzidas:

I – DOS FATOS

Conforme os autos, o requerente fora preso em flagrante delito no dia 31 de agosto do ano de2009, por volta das 21h 44min pelo Sargento Eduardo Carmona de Moura, da 2ª CIA/Tático Móvel/ 34ºBPM, na sede do DOPCAD/DI, sob a alegação de que estava com a posse de um invólucro plástico contendo as pedras substancias semelhantes à “CRACK” arrecadadas, o que resultou na sua autuação nas sanções dos artigo 33 da Lei 11.343/2006.

Aparentemente, o auto de prisão em flagrante observou asformalidades legais previstas no CPP para sua lavratura.

Na presente data em virtude da sua prisão em flagrante delito o requerente encontra-se recolhido no SERESP GAMELEIRA.

Todavia, não merece prosperar a custódia cautelar, fazendo jus o requerente a concessão da liberdade provisória, como será fartamente demonstrado nas razões abaixo invocadas.

II – DO DIREITO

Nodireito brasileiro a liberdade é a regra, sendo a privação de liberdade uma exceção, sendo aplicada apenas em determinados casos e sob certas circunstâncias, pois é medida extrema e gravosa.
Determina a Constituição Federal, em seu Art. 5º, inciso LXVI, que: "ninguém será levado à prisão ou nela mantido, quando a lei admitir a liberdade provisória, com ou sem fiança".Dispõe nossa Carta Magna, em seu Art. 5º, Inciso LIV, que: ninguém será privado de sua liberdade sem o devido processo legal, também, segundo Art. 5º, Inciso LVII, que: ninguém será considerado culpado antes de sentença penal condenatória transitada em julgado.
Assim, somente será possível a privação da liberdade do acusado quando presentes os requisitos autorizadores,discriminados nos Arts. 312 e 313 do Código de Processo Penal.
Dispõe o Código de Processo Penal Brasileiro, em seu Art. 321, que estando ausentes os requisitos para decretação de prisão preventiva, o Juiz DEVERÁ conceder a Liberdade Provisória.
Neste sentido, segundo inteligência do Art. 310, inciso III, do Código de Processo Penal, ao receber o Auto de Prisão em Flagrante oJuiz DEVERÁ conceder a Liberdade Provisória, com ou sem fiança.
Como se não bastasse, o Art. 310, inciso II, do Código de Processo Penal, determina que a prisão em flagrante somente poderá ser convertida em prisão preventiva quando presentes os requisitos do Art. 312 do Código de Processo Penal, o que não é possível no presente caso, assim, caracterizando direito subjetivo do Acusado a LiberdadeProvisória.

De acordo com o artigo acima transcrito, o requerente faz jus à concessão da liberdade provisória, porque o seu caso não se encaixa com a pena , como foi demonstrado nos artigos acima descritos.

Nesse sentido, segue a jurisprudência:

REsp 1295396 / SP
RECURSO ESPECIAL
2011/0294153-4
Relator(a)
Ministra LAURITA VAZ (1120)
Órgão Julgador
T5 - QUINTATURMA
Data do Julgamento
24/09/2013
Data da Publicação/Fonte
DJe 02/10/2013
Ementa
RECURSO ESPECIAL. TRÁFICO DE DROGAS. ART. 33, CAPUT, LEI 11.343/06.
SUBSTITUIÇÃO DE PENA DE RECLUSÃO CONCEDIDA EM SEDE DE APELAÇÃO. PENA
DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. CÁLCULO DA DETRAÇÃO À RAZÃO DE 24 HORAS DE
TRABALHO PARA CADA DIA DE PRISÃO CAUTELAR. IMPOSSIBILIDADE.
INTELIGÊNCIA DO ART. 42 C.C. O ART.. 46,...
tracking img