Missoes jesuiticas no rio grande do sul

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1450 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Karina Correa Teixeira Gularte







A Arquitetura das Missões Jesuíticas dos Guarani

Técnicas Construtivas



















Porto Alegre

Agosto de 2012





Sumário

Introdução iii

Construções 3

As Reduçoes 3

A arquitetura 4

As Igrejas 5

A a casa do Indio 6




Conclusão 9

Referências Bibliográficas 10Introdução




Este trabalho tem como objetivo apresentar as técnicas construtivas das edificações das missões jesuíticas do povo guarani.

Os povos latinos foram evangelizados por muitas ordens religiosas católicas. Dentre elas esta a ordem da Companhia de Jesus, criada no contexto da Reforma Protestante. Os Jesuítaschegaram na América um pouco depois que as demais ordens religiosas mas em 1593 chegaram ao Chile e logo depois, a bacia do Rio da Prata – do Paraguai ao Novo Reino.

As primeiras missões no Brasil foram consideradas ambulantes, com os padres apoiados nas residências jesuíticas fora do local aonde iam evangelizar, ou seja fora das aldeias indígenas. Mas com o passar do tempo o padre Manoel daNobrega se destacou ao apresentar planos para uma reforma nas missões, o Dialogo sobre conversação dos gentis e o Plano civilizador. Foram documentos para justificar as dificuldades do acesso dos missioneiros ao campo.

Em seu plano, Nobrega defendia a organização das aldeias para que dessa forma os índios ficassem submetidos a lei que lhes proibiriam de fazer muitas coisas dentre elas a poligamiae o canibalismo. Com essas novas instruções seria possível então construir um vilarejo fundado a partir de um esquema ortogonal, com um amplo espaço publico junto as casas e com uma praça central configurando uma ordem espacial.

Um povo que os Jesuitas evangelizaram foi o povo Guarani. O Guarani veio ambulantes da Amazonia em direção ao sul chegando a região platina a dois mil anos atrás.Eles sempre andavam divididos em grupos independentes de estruturas variáveis e algumas ate inimigas apesar da sua estrutura linguística ser a mesma. Os primeiros contatos com os espanhóis e portugueses foram no Rio da Prata com alguns relatos a partir de 1528. Muitos autores concordam que esses contatos geraram alianças baseados em interesses sociais, econômicos e políticos.

A partir deentão, se multiplicaram os registros de documentos oficiais, correspondências e publicações dos sacerdotes mostram novos comportamentos desse povo indígena em relação a estrutura e organização social.

Sendo assim as condições do material da região e a experiência dos nativos aliado aos padrões culturais europeus resultou-se a um método construtivo muito desenvolvido que observaremos a seguir.As Construções

As Reduções

As reduções eram centros comunitários, núcleos urbanos onde os indígenas ficavam reduzidos onde antes viviam dispersos em áreas rurais. Sua finalidade estava em assegurar a máxima concentração dos índios de maneira que a aprendizagem e a evangelização fossem mais eficazes e que houvesse um maior controle financeiro.

As construções principaiseram a igreja, a escola e os jardins da igreja estavam de um lado da praça. As casas dos nativos estavam nos outros três lados da praça. As reduções também continham uma casa para as viúvas e órfãos (os cotiguaçus), hospedaria ( o tambo) hospital e muitos armazéns. No centro da praça na parte mais alta, erguia-se uma grande cruz e a estátua do santo padroeiro. Toda redução tinha o nome de umsanto.

Alguns dos componentes da estrutura das reduções variavam, mas sempre obedeciam a um esquema geral. As estruturas que mais mudavam de posição eram o cotiguaçu, o tambo e o cabildo, um tipo de edificação usada para reuniões de Caciques. Em cada redução havia dois padres e ate seis mil índios.




A arquitetura

A arquitetura missioneira se adaptou a construção dos nativos e as...
tracking img