Meus oito anos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2113 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL
Aluna: Maria Henrique
O trabalho deverá ser organizado da seguinte forma: Compare as poesias "Meus oito anos de Casimiro de Abreu" e "Ai que saudade de Ruth Rocha"

TEMA: A INFÂNCIA
OBJETIVO:
Relatar com clareza de forma simples o tema sugerido, ressaltar e indicar sua importância, mencionando as propostas do trabalho que tem como objetivo a análise deduas poesias.

JUSTIFICATIVA:
Estudar a história da infância é importante, melhor dizendo, muito importante do ponto de vista humano. A infância é parte essencial da evolução e desenvolvimento vigente qualificado como contexto da formação e ajustamento inicial, indispensável de um indivíduo ou sociedade permanente. É necessário que tenhamos em mente que educação e infância são fatoresfundamentais no desenvolvimento da cidadania, da moral da formação de bons hábitos e da boa formação nos estudos acadêmicos, voltados para a educação.
INTRODUÇÃO:
Na idade média a educação era tida com rigoroso controle da hierarquia, aliada a nobreza feudal, junto da igreja escondia os conhecimentos no fim do Império Romano para dominar o povo. Juntos nobreza e clero governaram todo o ocidentedurante “muitos anos ”.
A educação da criança passa por uma linha histórica com registros desde a antiguidade ( por Platão/427-347-ac) onde dá referência de educação através de jogos na família , com objetivo de preparo para cidadania. Desde o Séc. XV esta história tem evoluido, não só com relação a educação das crianças mas também com relação ao comportamento dos adultos com ascrianças. Antes existia o que chamamos de 1ª infância, ( 3 a 4 anos) as crianças eram acompanhadas pelos pais e tinham seus momentos de crianças ,brincavam e participavam de todos os compromissos e festividades dos adultos, depois passam a jogar e brincar com os adultos e com jogos de adultos .Não existia da parte da família afetividade ou sentimentos fraternos pelas crianças .
Nãohavia escolas, as crianças eram ensinadas em salas ou lugares determinados onde se misturavam os ensinamentos, seriam estudos livres, estudavam pessoas de qualquer idade e classe social, com variações de conteúdo, o foco era a educação para moral e bons costumes.A infância era curta e logo começavam a companhar os adultos para o trabalho e era costume partilhar o ensinamento com outras famíliasacreditava-se que seus filhos pracisavam aprender outras funções e alguns afazeres eram desempenhados por aprendizes . As meninas eram educadas de diferente forma, recebiam educação de seus pais e em casa, porém também iam morar em outras casas, trocadas por famílias (entre 13 a 15 anos ), para aprenderem a ser donas de casa.No final do séc. XV e começo do XVI, inicia-se uma cobrança da sociedadedo cuidado com as crianças e a necessidade de desenvolvcer afetividade fraterna pelos filhos, com isso as crianças adiquirem direitos de estar mais próximas de seus pais .
Aparecem então nesta história as Escolas populares onde todos os meninos podem frequentar. No começo eram internatos , depois os externatos .
A educação infantil sofreu muitas transformações , oprocesso de aquisição das instituições que trabalham com crianças foi longo e difícil. Durante esse processo surge uma nova e diferente visão de concepção de criança, se antes era sem importância e insignificante, hoje tem identidade pessoal e histórica, com papel de investimento futuro, passou a ter atendimento que acompanhou o rumo da história, assim sendo, a educação infantil passa a seruma proposta pedagógica unida ao cuidar, zelar, atender necessidades psicológicas, emocionais, cognitivas, físicas, etc...devendo assim também serem respeitadas.
Aos anos 90 houve uma ampliação na concepção da criança, ela passou a ser vista como ser sócio histórico, a aprendizagem se dá com interações entre criança e seu entorno social .
Essa perspectiva sócio-interacionista...
tracking img