Metodos globais de alfabetização

Métodos Analíticos de alfabetização

Processo de alfabetização - 2011

Métodos globais e o contexto educacional brasileiro
Princípios e Diretrizes defendidas pela Escola Nova:  Conhecer, respeitar as necessidades e interesses da criança com base em sua realidade.  Estabelecer relações entre a escola e vida social.  Métodos ativos – aprender fazendo, liberdade para criar e promover aparticipação da criança no planejamento do ensino.


A escola é vida e não uma preparação para ela.

Princípios valorizados pela Escola Nova para a alfabetização
Valorização da leitura  Valorização das bibliotecas  Estratégias para desenvolver o gosto pelos livros  Valorização dos métodos globais.


Que ciências fudamentaram métodos globais?
A Psicologia da Gestalt defendia que acriança pequena (6, 7 anos) tinha uma visão sincrética (globalizada) da realidade, portanto, tendia a perceber o todo, antes de captar os detalhes.  A alfabetização deveria considerar esta característica.

Os métodos globais e a alfabetização
Decroly propôs que a alfabetização infantil deveria partir de:  textos naturais, frases ligadas ao contexto da criança ou palavras significativas.  ênfasena compreensão do significado e não apenas na capacidade de decodificar ou de ler o texto em voz alta. Essas ideias deram origem a diversos métodos de alfabetização.

Os métodos globais e o professor
Os métodos globais exigiram do professor uma mudança radical, pois a alfabetização deveria começar por unidades amplas:  histórias ou frases para chegar em nível de letra e de som, mas semperder de vista o texto original e seu significado.  A polêmica entre defensores dos dois tipos  de métodos - “querela dos métodos”.


Querela dos métodos

Polêmica entre defensores dos dois tipos de métodos gerou uma vasta literatura e muitas discussões teóricas.

Método de Contos
Método global mais antigo.  Aplicação inicial ocorreu nos Estados Unidos no final do século XIX.  Leiturade pequenas histórias, adaptadas ou criadas pelo professor com a finalidade de despertar na criança o prazer de ouvir a história para aprender a ler.  Desenvolver o gosto pela leitura.  A cartilha perdeu sua função.


A prática educativa
Apresentação da história completa (cenário e entonação bem cuidados). Frases ou orações para reconhecer o texto (pré-leitura). Reconhecimento de palavras(algumas palavras aparecem repetidas) para Facilitar a aprendizagem.  Trabalho com sílabas, depois recomposição de novas palavras com as sílabas

Método do Conto no Brasil
Teve uma aplicação restrita.  Foi aplicado apenas no Estado de Minas Gerais com a Reforma Francisco Campos e o apoio da Profa. Lúcia Casasanta (1920-1970) da Esc. de aplicação de form de professores.  Fases - sentenciação– porções de sentido – palavração – silabação ou de elementos fônicos.


Dificuldades de aplicação do Método do Conto no Brasil
Não adotar nenhum livro didático. Portanto, obrigava os professores a criar textos e preparar materiais didáticos.
Casasanta propôs um concurso entre suas alunas para elaborar um pré-livro com os princípios científicos do método global.

O método do conto e opré-livro
O pré- livro de Lili de Anita Fonseca (1942). Material utilizado com bastante sucesso durante até os anos1960 no Rio de Janeiro. Em São Paulo, nos anos 1920, os métodos globais ou analíticos não foram aceitos pelos professores, apesar da existência de uma lei obrigando a sua adoção. Lei revogada, deixando os profs livres para escolher um método.


Método ideovisual de Decroly
Criado noinício do séc. XX pelo médico, Psicológo, educador belga e pioneiro da Escola Nova entre 1871-1932. Decroly fundou em Bruxelas uma instituição para atender crianças com dificuldades de aprendizagem que mais tarde passou a ser uma escola renomada.
Após 1ª guerra mundial (1914-1918) ideias pedagógicas foram adotadas no ensino público.

Decroly e os centros de interesse CI


Nos CI, os...
tracking img