Metodologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1491 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. ADAPTAÇÃO CURRICULAR
Mayara Guimarães1

1.1 CURRÍCULO E DIVERSIDADE O currículo é um projeto que orienta as atividades escolares proporcionando guias de ações úteis para o professor e a adaptação do mesmo é necessária para atender as dificuldades dos alunos com necessidades educacionais especiais. Sobre o currículo Cuidado ao enfatizar um rígido currículo padronizado. Aprender matemática,história, português etc... É muito importante, mas essas podem não ser as únicas competências úteis para a vida de uma criança com deficiência que está em processo de inclusão na sala de aula. Durante muito tempo e ainda por muitos, o currículo foi/é um conjunto padronizado de exigências acadêmicas e habilidades que todos os alunos deveriam aprender para terminar com êxito o seu curso, ou seja,essa ótica remetia a idéia de que as áreas de conhecimento ou informações eram pré-definidas e quando assimiladas pelos discentes de modo seqüenciado, resultava no sucesso após a vida escolar. Atualmente muito educadores adeptos da proposta inclusiva são mais flexíveis quanto a isso e reconhecem uma maior importância no ato de “aprender a aprender”, saber discernir o que é preciso para adaptar etornar-se proficiente, saber como e onde localizar a informação necessária. Importante se adaptar a diversidade e o currículo ser mais voltado para o aluno, pois hoje é visível a preocupação de muitas instituições em cada vez mais adequar o currículo a realidade do aluno. Áreas da diversidade que o professor precisa abordar: Diferenças raciais: Muito importante expor acerca da diversidade de raçasexistentes e sua importância na contribuição da história da humanidade, porém, deve-se evitar: -Banalizar: organizar atividade somente diante de festividades ou em prol de comida. -Praticar o simbolismo: Ex: uma boneca negra entre muitas brancas, apenas um livro sobre qualquer cultura. -Desconectar a diversidade cultural da vida cotidiana da classe: Abordar sobre a cultura apenas em ocasiõesespeciais e esquecer de se referir a essa cultura ao longo do ano letivo. EX: Falar sobre a cultura afro somente na semana da consciência negra.

__________________________
1) Pedagoga e especialista em educação especial/inclusiva mayags@terra.com.br

-Estereotipar: Um exemplo disso é mostrar pessoas afro-descendentes apenas como pobres ou com fotos da escravidão usando correntes, mordaça. Mostrargaúchos usando trajes típicos do Sul (sabemos que a maioria não se veste assim). Ilustrar o povo baiano “preguiçoso” deitado na rede, coisas assim. Não é ruim mostrar o lado típico das comunidades, mas deixar claro as suas peculiaridades. -Representar inadequadamente os grupos étnicos: Ora! Japonês não é Chinês, uma foto de um brasileiro-americano (descendente) não pode representar um americano.Diferenças culturais: Todos têm uma história, uma origem e isso não e privilégio de grupos pequenos. Mesmo dentro da sala de aula podemos encontrar variadas culturas. É importante abordar que todas as pessoas têm uma cultura e que além de serem importantes, merecem respeito. Uma maneira muito propicia de estimular isso, pode ser pelos próprios nomes das crianças ou também a origem de sua identidade,sua nação ou comunidade. Diferenças familiares: Antigamente se difundia bastante aquela imagem de família “padrão” o pai, a mãe, os filhos, o cachorro etc...Todos dentro da casinha feliz! Isso já não era uma realidade há muito tempo e muito menos atualmente que se varia muito o convívio. Hoje as famílias podem ser compostas apenas pela mãe e filhos; pai e filhos; avós que criam netos; paisadotivos e muitas outras variedades. Diferenças de gênero: O objetivo é fazer com que as crianças tenham aceitação e reconhecimento das diferenças de sexo e também que não se restrinjam a essas características. Deve-se evitar a constante “guerra dos sexos” e coisas do tipo: O que as meninas podem fazer e o que os meninos podem. Precisam interagir e entender o “sexo oposto”. Diferenças religiosas e os...
tracking img