Metodologia para avaliação de riscos de auditagem nas demonstrações contábeis utilizando escalagem psicométrica: uma leitura à luz do planejamento em auditoria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 32 (7859 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
AUTOR: VALDEIS RIBEIRO DA SILVA

Metodologia para Avaliação de Riscos de Auditagem nas Demonstrações Contábeis Utilizando Escalagem Psicométrica: Uma leitura à luz do planejamento em auditoria

Resumo: Recentemente os sucessivos escândalos de manipulação de demonstrações financeiras das companhias abertas nos Estados Unidos da América, motivaram suas autoridades reguladoras a estabelecer ummaior rigor às regras que o mundo corporativo, em que normatizações foram instituídas como a Lei de Sorbones e Oxley, a qual trouxe consigo um novo viés no tratamento dos controles internos das companhias, na perspectiva de garantir eficiência e eficácia no tratamento dos recursos, evitando manobras e versões distorcidas na demonstrações financeiras, e permitir alterar a decisão de quem investe,de quem analisa ou de quem administra. Ganha ênfase a auditoria no processo de garantir a veracidade e precisão das referidas demonstrações e, conseqüentemente, da efetividade dos controles internos que alimentam essas demonstrações. O presente trabalho tem como objetivo avaliar riscos em auditoria das demonstrações contábeis. Para isto apresenta uma metodologia utilizando escalagem psicométrica,sistematizada em duas fases: fase (i) Identificação dos Riscos de Auditagem, extraídos da literatura e confirmados junto a especialistas; (ii) Avaliação dos Riscos com o apoio do método de escalagem psicométrica Lei dos Julgamentos Categóricos de Thurstone. A mensuração dos riscos em auditoria das demonstrações contábeis possibilita estabelecer prioridades de riscos, permitindo com isto, um esforçomaior no sentido de aperfeiçoar de forma plausível e factível procedimentos de auditoria em riscos de maior envergadura e impacto. Nesta perspectiva os resultados mostraram-se satisfatórios, validando o método apresentado. Disto resulta e confirma a importância de se conhecer aqueles riscos que realmente são importantes para então delimitar de forma mais plausível e factível os trabalhos deauditoria, tornando-os mais focados e menos onerosos. Destaca-se ainda uma maior eficiência no planejamento, à medida em que permite ao auditor uma melhor compreensão da vulnerabilidade do controle interno, subsidiando e permitindo conclusões mais consistentes. Palavras-chave: Metodologia. Demonstrações Contábeis. 1 Introdução Planejamento em Auditoria. Riscos em Auditoria.

Recentemente ossucessivos escândalos de manipulação de demonstrações financeiras das companhias abertas nos Estados Unidos da América, motivaram suas autoridades reguladoras a estabelecer um maior rigor às regras que o mundo corporativo, novas normatizações foram instituídas como a Lei de Sorbones e Oxley, a qual trouxe consigo um novo viés no tratamento dos controles internos das companhias, na perspectiva de garantireficiência e eficácia no tratamento dos recursos, evitando manobras e versões distorcidas na demonstrações financeiras, e permitir alterar a decisão de quem investe, de quem analisa ou de quem administra. Ganha ênfase a auditoria no processo de garantir a veracidade e precisão

das referidas demonstrações e, conseqüentemente, da efetividade dos controles internos que alimentam essasdemonstrações. E isto requer das organizações sistemas de controles cada vez mais inovadores e incrementais de valor às organizações. E oportunizar esse incremento é para uma nova feição que se desenha e verificar que antigas práticas já não mais se justificam. E isto pressupõe desvencilhar-se de valores passados e introduzir efeitos adequados a esse tempo. Sem dúvida a competitividade é dependente de fortessistemas de controles eficientes, com o grande volume das transações isso se torna indispensável. Também é necessária a harmonização do conjunto de informações disponíveis para a realização dos planos traçados e dos objetivos pretendidos. Porém, conforme ressaltam Franco e Marra (2001), uma vez que os controles internos compreendem todos os registros (atos e fatos) que tenham relevância para a...
tracking img