Metodologia de trabalho academico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1609 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. A atitude científica busca o oculto, o desconhecido, é crítica, fundamenta-se no concreto, segue um caminho/objetivo (método), é quantitativa e homogênea. Interpreta fatos baseada na observação e experimentos.
Um exemplo de atitude cientifica foi a descoberta da gravidade a partir de uma simples questão: Por que os corpos caem?
O senso comum provém da acumulação de experiências, éaparente/superficial, sem tratamento científico, subjetivo, qualitativo e heterogêneo.
Um exemplo de senso comum é o dito popular de que leite com manga faz mal se ingerido. Apesar de não ser comprovado cientificamente, se tornou uma real verdade para muitos.
A ciência distingue-se do senso comum porque este é uma opinião baseada em hábitos, preconceitos, tradições cristalizadas, em quanto a primeirabaseia-se em pesquisas, investigações metódicas e sistemáticas e na exigência de que as teorias sejam internamente coerentes e digam a verdade sobre a realidade.

2. A ciência na Idade Moderna foi preparada pelo Renascimento. Galileu, graças as observações com seu telescópio, e o astrônomo alemão Kepler, ao descobrir as célebres leis do movimento dos planetas, a completar aquilo que Copérnico nãochegou a fazer: apresentar as provas que davam definitivamente razão a teoria heliocêntrica, condenando a teoria geocêntrica como falsa. Tudo isto aconteceu com uma grande resistência. Galileu foi ameaçado e julgado pela Igreja por tal heresia. Nos séculos XV e XVI passa-se a criticar o saber livresco e a valorizar a observação direta e rigorosa, a experimentação e a técnica.
Na idade moderna, aciência separa-se da filosofia e desenvolve-se uma visão mecanicista do universo.
A ciência moderna foi dando seus frutos e a nova concepção de mundo, o mecanicismo, ganhando cada vez mais adeptos.

3. Idade Antiga: nesta época a ciência era uma atividade contemplativa. Não tinha como objetivo a manipulação ou transformação da natureza para fins específicos. O conhecimento científico apoiava-se emprocedimentos dedutivos. Partindo-se de princípios gerais, tentava-se explicar os fenômenos particulares. A ciência não estava separada da filosofia, que era considerada a ciência das ciências.

Idade Média: a ciência esta subordinada a filosofia e a teologia. Nesta época desenvolve-se uma cultura livresca (escolástica) e o universo é consolidado no século XIV como antropocêntrico, santificadopela religião e racionalizado pela concepção geocêntrica.

Idade Moderna: nesta época, o conhecimento científico é tido como o único verdadeiro (mito da cientificidade). O desenvolvimento da ciência e da técnica são os únicos que poderão conduzir a humanidade a um estado superior de perfeição (mito do progresso). A resolução dois problemas da humanidade passa a ser de responsabilidade dosdetentores do conhecimento técnico e científico (mito da tecnocracia).

Idade Contemporânea: surge um verdadeiro culto da ciência, o cientismo. O cientismo é, pois, a ciência transformada em ideologia. Ele assenta, afinal, numa atitude dogmática perante a ciência, esperando que esta consiga responder a todas as perguntas e resolver todos os nossos problemas. Em grande medida, o cientismo resulta deuma compreensão errada da própria ciência. No século XX deixa-se de falar em certezas absolutas, para se falar de incertezas e probabilidades.

4. A ciência ainda que considerada o lugar privilegiado da razão também comete falhas. Algo comprovado ser real em determinado tempo, pode logo depois ser considerado errado seguido por estudo que assim o comprove. Sendo assim é possível afirmar que aciência cria mitos. Como por exemplo o mito do cientificismo que afirma poder confiar totalmente na ciência.
5. Desde os seus primórdios o homem busca um significado para a existência e o universo, para o sentido de si mesmo e a compreensão de suas relações com o próximo. Uma crença da modernidade é que é possível encontrar a razão de tudo, a causa de tudo. Se não encontramos é porque ainda não...
tracking img