Mestrando em mba

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2076 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Breve memória

“Cabo Verde, Exportador do café no passado e actualmente importador, conheça a evolução e as razões.



O café foi introduzido pela primeira vez em cabo verde na ilha de S. Nicolau pelo feitor da Fazenda Nacional António Leite, é o que diz os documentos consultados. Posteriormente, foi introduzido na ilha de Santiago pelo Coronel das Milícias Joaquim José Pereira, queimportara sementes das Antilhas. Só mais tarde é que a planta passou a ser cultivada em Santiago, Fogo, Santo Antão, S. Nicolau e Brava. A partir dai, durante muito tempo, o café foi uma das mais importantes, se não a mais importante cultura de sequeiro para a economia cabo-verdiana, atendendo a qualidade e cotação que adquiriu no mercado Internacional. Depois da Emigração dos proprietários e grandedivisão da propriedade pelos herdeiros, o uso de práticas culturais inadequadas, aliados as fracas precipitações, aliados todos esses factores vieram contribuir para o declínio da cultura.

Entre os anos 1840 e 1928 em média 240 toneladas, tendo oscilado entre um mínimo de 240 kg e um máximo de 626 toneladas de café por ano (mais de aquilo que importa actualmente). Já entre os anos 1975 e 2003 aprodução esteve quase inferior a produção conhecida atinge as 90 toneladas, e actualmente o país importa pouco mais de 500 toneladas. A produção nacional não cobre a demanda actual das duas empresas torrefactoras. Entretanto hoje a produção nacional nem atinge a metade do que exportava. Mas com esforços e continuando na dinâmica que se iniciou há anos na plantação e fixação de novas plantas parasubstituição, se pode obter uma produção razoável. Ainda os custos de produção são elevados, mas reduzindo-os, a produção pelo menos a do Café de Fogo pode ser viável, se se manter as características organolepticas que são a base da fama adquirida. Pois em quantidades não se poderá competir com países como o Brasil que já em 1998 chegava a produzir 28 milhões de sacos de 60 quilogramas, Bolívia 133mil sacos, Colômbia 10 milhões de sacos, Guatemala, Indonésia 8 milhões de sacos para o mercado internacional toneladas de café e que consegue com toda a tecnologia e demais colocar em Cabo verde, um café comercial abaixo do custo de produção local. E são esses países os que são potenciais abastecedores de Cabo verde em café.



O estudo da “Viabilidade Económica da unidade de transformaçãodo café do Fogo” foi realizado a pedido da Delegação do MAAP da mesma ilha e se encerra no programa de Modernização do sector Agrário e Desenvolvimento Rural e no Subprograma Reconversão da agricultura de sequeiro. Como uma das estratégias desse Subprograma se encontra a de fornecimento do mercado interno tendo presente o desenvolvimento do turismo e promoção de uma abordagem integrada dodesenvolvimento das comunidades rurais. Ainda nesse subprograma prevê-se a produção e fixação de 15.000 plantas de cafeeiro para substituição das velhas plantações.



No âmbito do projecto COSPE” Desenvolvimento do café do Fogo” da cooperação Italiana, O Estado de Cabo Verde recebeu algumas máquinas de transformação de café, cuja unidade foi inaugurada em Março de 2000. Com o término do projecto,as referidas máquinas passaram a ser geridas pela Delegação do MAAP. Entretanto, a falta de peças, embalagens e os preços do café praticados no mercado, diminuíram em certa medida o dinamismo que se vinha verificando no processo, provocando um subaproveitamento das máquinas que chegaram em algumas ocasiões a funcionar apenas 34 dias no ano.



Com a provação da Associação dos produtores docafé “PROCAFE”em Março último, essas máquinas, passaram a ser património da referida associação, como de rentabilizar as mesmas.



Como objectivo principal, o estudo tratou de analisar a viabilidade económica da referida unidade de transformação sito nos Mosteiros, como também de todos os problemas que tem a ver com a produção, o mercado, os circuitos e fluxos, importação, preços etc....
tracking img